quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

A Distância de Ti...


Foi na melodia
em que me perdi,
por entre teus braços,
afagos e suspiros,
enfim.

Mesmo ali,
na linha da música,
rente a ti,
voei,
soltei-me
por entre notas,
pautas
e coisas de Mestre.


Foi ainda agora
este sentir
guardado
no segredo 
da nossa música:

a distância de ti.


4 comentários:

Francisco disse...

Saudades de te voltar a ler

beijinhos

Elvira Carvalho disse...

Que bom que voltou. Já tinha saudades dos seus poemas.
Abraço

Pedro Coimbra disse...

Poema a um amor ausente?
Muito bonito!

Cláudia disse...

Saudades =)

Beijocas