sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Sou flor



Na preguiça morna daquele abril
soltaram-se sementes
por terra solta
como colheita prometida.

Fui flor ao acaso
em jardim de pai presente
com mãe ao sabor do vento.

Eis-me herdeira da avó margarida,
desabrochada no regato do agrião
naquela horta colorida,
uma flor única,
menina de viço inocente
pois se os cuidados eram tamanhos.

Daquelas sementes encontradas
na primavera última,
perdi-me em janeiro
rasguei mundos,
nasci 
e para sempre desassosseguei.







25 comentários:

Mona Lisa disse...

A tua "história" "cantada" num excelente poema.

Beijinhos.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Bem ritmado, e divertido.

=)

Carpe Diem disse...

Que bonito, Pérola :) Também sou de Abril!
Beijinho

Francisco disse...

Beijinhos e bom fim de semana

Elvira Carvalho disse...

Gostei deste poema-história.
Abraço e bom fim de semana

Cidália Ferreira disse...

Que pérola de poema-Bom de mais!!

Bom fim de semana.
Beijinhos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Jorge disse...

Fantástico este teu poema...

Andreia Morais disse...

Magnífico poema!

Beijinhos*

emanuel moura disse...

Uma bela flor que emana tão suave viver ,maravilhoso querida amiga ,muitos beijinhos no coração.

Guaraciaba Perides disse...

um poema que resume encanto e alegria de viver, nascida do amor ,da semente e da terra, uma flor. Lindo e leve nas descrição de uma flor.
um abraço

AFlores _ disse...

Sou Flores... e mando beijinhos :)))))))))))))

Tudo de bom.

Lucas - Blog: Overture disse...

Um desabrochar primaveril tão belo quanto a própria primavera. Enquanto essa pequenina desassossega para sempre, nossos olhos se desassossegam entre teu poema e ela, um reflexo perfeito do outro, não como imagens refletidas e invertidas, mas como dois quadros perfeitos da mesma imagem interior e exterior perfeita. Que essa neta da margarida desassossegue entre todos nós desassossegados, que a vida é bela demais por se viver.
Tu és a perfeição em poesia! Ou a poesia em perfeição?! Agora não o sei.
Beijossssssssssssssssssss

Mariangela do Lago Vieira disse...

Uma linda e inspirada florzinha!
Amei!
Beijos!!
Mariangela

ReltiH disse...

SIEMPRE HERMOSOS TUS PENSAMIENTOS.
ABRAZOS

Claudia Rodrigues disse...

Que texto lindo :).

Poesia do Bem disse...

Uma bela flor e um texto terno que se inspirou nas sementes , no sangue, na alma, nas raízes. Amei, e sobre a avó tem uma bela dica no blog, quando puder visite, bjs e boa semana

Cláudia disse...

Que giro =)

Beijocas

Kátia disse...

Olá!
Vim dar uma espreitada pois a porta estava entreaberta...gostei muito da casa,linda em cor de rosa e as palavras,ahhhhhh as palavras!Soaram como gotas de orvalho em um jardim florido e encantado.Simplesmente:Adorei!
Parabéns Pérola!
=)

Graça Pires disse...

Uma poema que é uma narrativa tão bela da vida. A imagem ilustra muito bem o poema.
Um beijo.

As Mulheres 4estacoes disse...

Bom dia,Pérola!
A vida nos brinda com desassossegos diários, quando se tem alma semente.
Um abraço, Sônia

Pedro Coimbra disse...

Esses desassossegos só nos ajudam a perceber que estamos vivos.
Boa semana

Malu Silva disse...

Voltei a blogar e aguardo visita dos amigos queridos.
Um abraço!

http://momentosbrancoepreto.blogspot.com.br/

Zulmira Romariz disse...

Pérola, também é bom desabrochar, mas fica sempre a saudade da inocência,
beijo amiga

Teresa Isabel Silva disse...

Muito bonito!

Bjxxx

Labirinto de Emoções disse...

Olá Perola
Pois continua desassossegada e a presentear-nos com estes poemas girissimos, seja qual for o mês do ano..;)))

Adorei.
Beijinhos
Teresa