sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Não sei



The Flower Girl - 
Jules Cyrille Cave

Não sei quando a semente
se perdeu na terra,
o céu se derramou
ou mesmo porque 
se despem as flores maduras.

Vou secando 
no mesmo vento
que varre jardins
e colhe as flores
grávidas de nova primavera.


Inspiro os suspiros dos malmequeres
como perfume de outras eras,
de outros tempos,
porque simplesmente não (me) sei.

Já brotaram novos rebentos
na terra acolchoada
de folhas que se enlutam
na despedida do verão.

Não sei dos porquês
das estações 
que se soltam de sinónimos
e agarro-me à desfolha
de pétalas por cair.



35 comentários:

emanuel moura disse...

Tudo neste mundo se transforma ,nós ,a natureza e o mundo ,lindo momento querida amiga ,muitos beijinhos no coração.

Edumanes disse...

Por que não sabes nada,
quem foi que assim escreveu
a um ramos de flores abraçada
daqui te estou vendo eu...

Só preciso de saber onde fica,
quero colher uma flor para mim
para conhecer o teu jardim
farei, um dia uma visita...

Boa noite, bons sonhos e bom fim de semana,
desejo eu para ti amiga Pérola. Um beijo.
Eduardo.

Francisco disse...

Que belo poema acerca do Outono :)

Beijinhos grandes

Cidália Ferreira disse...

Boa noite Pérola

Fantástico poema, como sempre, nos dás boas pérolas a ler.

Bom fim de semana.
beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Manuel Luis disse...

A pouca chuva que humedeceu a terra inspirou-te e suspiras por uma primavera que ainda distante já te traz saudade.
O verão ainda anda por aqui com nuances de outono.
Bj

Nal Pontes disse...

Encantador poemas, letrinhas suaves. Lindo poema.
Minha linda, vou ser avó de gêmeos e por isso resolvi
criar um blog para contar a eles e sobre eles. E para
mim será um prazer enorme ter a sua rica marquinha por lá.
Um lindo final se semana. Bjs
http://nalpontes4.blogspot.com.br/2015/08/um-pedacinho-de-mim-para-dividir-com.html#

Andreia Morais disse...

Muitas vezes, a magia está mesmo no não saber.

Beijinhos*

Mona Lisa disse...

O porquê dos ciclos da vida numa brilhante comparação com as estações doa ano.

Adorei!

Beijinhos.

Laura Santos disse...

Ás vezes tudo o que não sabemos de nós, é a parte que está unida e certa, e essa parte é a que iremos descobrindo aos poucos.
Belo poema, Pérola!
xx

Laura Santos disse...

Ás vezes tudo o que não sabemos de nós, é a parte que está unida e certa, e essa parte é a que iremos descobrindo aos poucos.
Belo poema, Pérola!
xx

Dorli Ramos disse...

Oi Pérola,
Tinha que ser poetisa para escrever essa linda poesia.
Beijos
minicontista

José Carlos Sant Anna disse...

Porque já não se sabe flor, deixa-te seduzir pelos orvalhos para novas descobertas e renascimentos a cada nova manhã.
Beijo, Pérola!

Andrea Bitencourt disse...

Olá Pérola!
Sempre viajo nos seus maravilhosos textos...são a mais pura reflexão sobre a vida!!
Beijos e ótimo final de semana pra ti! =)
www.deliciasdavodeo.com.br

Mariangela do Lago Vieira disse...

E assim... Coloque as tuas esperanças no amanhã que está por vir!
Lindo poema repleto de reflexão!
Beijos Pérola!
Mariangela

APENAS PALAVRAS disse...

Oi pérola!
Que linda e maravilhosa poesia com dizeres profundo seguida de uma grande delicadeza...

Que este fim de semana os teus olhos brilhem com o resplendor de quem viu o sonho mais difícil ser concretizado!
bj de carinho no coração.

Guaraciaba Perides disse...

Oi, Pérola...há tempo para tudo em cada tempo o seu viver, mas o importante é que nos ciclos que compõe a vida, as flores sempre voltam.
Um abraço

Lucas - Blog: Overture disse...

Que mais é, e que beleza maior há na nossa vida que não saber e agarrar-se às últimas pétalas que se agarraram?
Que perfeito poema outonal, carregado de todos nós e todas as nossas faltas de porquês!
É encantador!
Beijossssssss

Lucas - Blog: Overture disse...

Que mais é, e que beleza maior há na nossa vida que não saber e agarrar-se às últimas pétalas que se agarraram?
Que perfeito poema outonal, carregado de todos nós e todas as nossas faltas de porquês!
É encantador!
Beijossssssss

Maria Eu disse...

Depois da queda das folhas, a renovação!

Beijos, Pérola. :)

Elisabete disse...

Uma maravilha, Pérola.
Bom domingo

Ghost e Bindi disse...

Num mundo sempre em mutação, veloz e constante, é muito fácil se perder. Mas se as folhas dos plátanos caem no outono... na primavera tornam a nascer, novamente folhas... de plátanos. O DNA de nossa alma sensível é a marca indelével que nos faz humanos.
Um grande abraço!

Bíndi e Ghost

Meu Velho Baú disse...

Muito bonito !.....
Beijinhos

Elvira Carvalho disse...

Um belo poema. Mesmo não se sabendo, não deixa de ter muito talento para no-lo dizer.
Um abraço e uma boa semana

ReltiH disse...

ESCRIBES, PIENSAS MARAVILLOSO.
ABRAZOS

ANALAICE disse...

Olá Pérola, que linda poesia, passei para desejar uma semana cheia de inspirações e alegrias, e também para avisar que lhe marquei em uma tag lá no blog, mas esteja a vontade para participar ou não...Beijos...

http://analaice.blogspot.com.br/2015/09/tag-recebida.html

Pedro Coimbra disse...

Cheiros de um Outono que se aproxima.
A fazer lembrar o Perfume de Suskind.
Boa semana

Telé de Carvalho disse...

WAW... está d +

Acabei de achar o seu blog e gostei dele
textos perfeitos e lindos


ESTOU EM : >>>> DE LA VÉRITÉ

Dani Ramos disse...

Mais um lindo poema...adorei!
Boa semana para você...cheia de muita inspiração...

Dani Ramos
www.donaengenhosa.com.br
https://www.youtube.com/c/DonaEngenhosabyDaniRamos?sub_confirmation=1

My Precious Space disse...

Que poema maravilhoso**
deu-me imenso gosto lê-lo :)
beijinhos
http://mypreciouspace.blogspot.pt/

Jorge disse...

Um poema fantástico! Que inspiração...

Poções de Arte disse...

Oi poetisa!

O Outono é minha estação preferida - acho tudo lindo nessa estação e embora tudo pareça se perder, a renovação vem logo em seguida, com coloridos ainda mais bonitos.
Parabéns pelos belos versos.
Abraços esmagadores e lindo dia.

silvioafonso disse...

Continuo amando o seu blog. Por
isso o estou seguindo. Mantenho,
entretanto, a esperança de você
me seguir também.

Beijos.




.

Agostinho disse...

Desfolhando à procura de confirmação dum amor: bem-me-quer, mal-me-quer...

José Carlos Sant Anna disse...

Também "não sei dos porquês / das estações". Sei apenas que elas te inspiraram um belíssimo poema.
Beijos, Pérola!

Agostinho disse...

Quem sabe se no jogo do mal-me-quer
a poeta encontra uma semente pronta?