segunda-feira, 26 de junho de 2017

no limite



lá fora 
sopra uma brisa
paciente
como a esperar por mim,
chama-me
em sussurro
de desafio,
sem promessa
ou contrato por assinar.

está lá,
existe,
para além 
do que sou,
para além 
do que sinto.

chama-me
o desconhecido,
diz meu nome
sem pressas
porque
sabe de meu vazio
de eu estar aqui
na busca incerta
de outros ares,
de outro mundo,
de outros 'eus'.


12 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso, como sempre.

Beijos e uma excelente semana

Anajá Schmitz disse...

Linda poesia. Agora estou me atrevendo a escrever alguma coisa. Mas meu prof. da oficina literária que fiz disse que tem algumas sugestões. Na minha inexperiência pensava que tinha que escrever conforme o vinha a inspiração.
Bjos tenha uma ótima semana.

José Carlos Sant Anna disse...

Deixa que essa brisa descubra a linha curva do horizonte que passa por detrás do meridiano, ela descobrirá a manhã do amanhã.
Beijinhos,

emanuel moura disse...

Muito lindo querida amiga ,sempre maravilhosa ,desejo-lhe uma semana muito feliz ,beijinhos

Francisco disse...

Muito bom

Beijinhos

Ana Bailune disse...

E Às vezes dá vontade de embarcar nessa brisa, sem nem saber para onde ela vai nos levar...

Pedro Coimbra disse...

Não estará no momento de sair e seguir esse chamamento?

Cláudia disse...

Que interessante =)

Beijocas

Elvira Carvalho disse...

Um belo poema.
Abraço

Graça Pires disse...

A brisa pode levar os sonhos até onde for possível. Será essa?
Um belo poema.
Beijos.

Maria Rodrigues disse...

Belissimo poema.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Manuel Luis disse...

O efeito da tua poesia faz-se sentir por aqui.
Bjs