quinta-feira, 28 de abril de 2016

tua


William Oxer

Entardece, amor,
no abraço da noite 
traficante de ilusões.

Tolda-me o sentir do Sol 
que sempre nasce
e a primavera
que sempre chega.

Penumbra-se o mar
em marés que sempre vêm,
umas como quem quer engolir a terra,
outras de mansinho,
em afagos húmidos.

Deixa a névoa encastelar-se
na própria sombra
em brumas sem diferença,
importâncias de outros.

Vem, amor,
no beijo da luz,
olha-me como se fora única
aquela que se despe,,
de alma só tua
para ti.


9 comentários:

Francisco disse...

Gostei ;)

Beijos

AFlores disse...

E para ti deixo um beijinho e um abraço.
Tudo de bom.

Cidália Ferreira disse...

Simplesmente fantástico!

Bom fim de semana.
Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Poesia do Bem disse...

Atordoante de se ler, e me achar nos teus versos sempre lindos, paixão sempre. Bjs e apareça no Poesia. Vou compartilhar essa poesia com os devidos créditos claro na minha página no facebook Poesia do Bem

emanuel moura disse...

Maravilhoso poema querida amiga muitos beijinhos no coração.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Lindo um belo poema.
Gostei.
Um abraço e bom fim de semana.

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Pérola.
Os afagos das marés são como beijos de amor ;)

bj amg

Graça Pires disse...

Um poema delicado onde cada palavra é um desejo de amor.
Beijo.

ReltiH disse...

VERSOS MUY BELLOS...!
ABRAZOS