sábado, 30 de abril de 2016

Um Olhar qualquer



Olha-se e não se vê,
vê-se e não se olha.

Comenta-se na cegueira,
cega-se no comentário.

Julga-se nos sentidos,
sente-se nos julgamentos.

Adivinha-se o que não se sabe,
sabe-se o que se adivinha.

Recebe-se o que se dá,
dá-se o que se tem.


E tu? 
Para onde olhaste primeiro?
Que te prendeu o olhar?
O cachorro?
O homem?
Um sentir qualquer nascido da pele nua?


10 comentários:

✿ chica disse...

Lindo te ler e olhei primeiro pro cachorrinho lindo! Ótimo fds! bjs, chica

Crocheteando...momentos! disse...

Vi o conjunto de alguém que se gostam...mas o cachorrinho salienta_se!...bj

Crocheteando...momentos! disse...

Vi o conjunto de alguém que se gostam...mas o cachorrinho salienta_se!...bj

emanuel moura disse...

Belíssimo querida amiga ,um momento gracioso de poesia ,muitos beijinhos no coração.

Beatriz Bragança disse...

Minha querida
Cada vez me convenço mais de que tem mesmo uma «joalharia» pois cada texto é uma autêntica jóia! Belos trocadilhos para reflectirmos.Obrigada.
Parabéns.
Um beijinho
Beatriz

Cidália Ferreira disse...

Brilhante!!

Beijo
Bom Domingo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Francisco disse...

Primeiro li este poema magnífico, depois olhei para o cachorrinho apesar de achar o homem um gatito :)

Cláudia disse...

Gostei muito =)

Olhei para a imagem como um todo, mas o cachorro é mais giro =)

Beijocas

Zulmira Romariz disse...

Vi um homem e um cachorro, não me detive em nenhum deles, apenas na tua
poesia, bjs e boa semana

Laíza disse...

Imaginei um momento de alegria atendo me involuntariamente ao cãozinho, pois me recordo do amor canino que já vivi.