quinta-feira, 29 de setembro de 2016

?... ! ; " : " .



* Gastam-se as palavras?

* Desbotam as interrogações quando lavadas em exclamações?

* Desaparece o ponto final na viragem do parágrafo?

* Pode o silêncio falar mais do que qualquer verbalização, imagem ou escrita?

* Vive-se na paragem das vírgulas da vida?

* Escorremo-nos no corpo das reticências?

* São as aspas sombra ou luz?

* Tendemos para o equilíbrio quando somos o ponto e a vírgula?

* Explicações são precisas em pontos encavalitados?

* Não sei, ponto.



8 comentários:

PAULO TAMBURRO. disse...

OLÁ,PÉROLA, VOCÊ ME CONHECE TENHO ALGUNS BLOGUES ENTRE ELES “HUMOR EM TEXTOS”, “FALANDO SÉRIO”,FOTOFALADA E OUTROS.SEMPRE FUI SEU SEGUIDOR E AGORA PEÇO DESCULPAS PARA PEDIR QUE VISITE UM BLOGUE EXTRAORDINÁRIO DE UMA ESCRITORA CUJO NOME É: LUCIA MC –ARTES , ARTISTAS E HISTÓRIAS. ESTA SENHORA VALORIZA A MÍDIA BLOG, E POR ESTA RAZÃO ACREDITO QUE TODOS NÓS QUE TEMOS BLOG, TEMOS QUE VALORIZAR:O ENDEREÇO DO BLOG É:

https://luciamonteart.blogspot.com.br/

OBRIGADO E MAIS UMA VEZ ME DESCULPE POR ESTAR SOLICITANDO POR TERCEIROS.

UM ABRAÇÃO CARIOCA.

Francisco disse...

Muito bom

Já aprendi algo hoje, obrigado

Beijos

Cláudia disse...

Gosto muito de ler estas coisas. Realmente quem não sabe usar bem as pontuações, deveria ler isto. É mesmo interessante.

Beijocas

Cidália Ferreira disse...

Sim, concordo. A Falta de pontuação modifica um texto. Assim como mesma.

Por vezes não se para para pensar.

Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Nadine Granad disse...

Bela aula!

Abraços =)

emanuel moura disse...

O saber não ocupa lugar ,muitos beijinhos felicidades querida amiga

jair machado rodrigues disse...

Sempre bom saber empregar as palavras, sempre bom lembrar, gracias rs...como não se render a este poema gramático/dramático, se tornou belo falando de como empregarmos os altos e baixos da vida, nossas vírgulas, exclamações, os pontos finais que gostamos de dar, e as reticências. Belo poema.
ps. Carinho respeito e abraço.

Jossara Bes disse...

Aprender assim é prazeroso, poético!
Beijo carinhoso!