quinta-feira, 22 de setembro de 2016

sem mãos


Faço o mundo
com uma mão cheia de nada
e outra vazia de tudo.

Tenho na mão
um punhado de alguém,
flores de outras sementeiras,
pedaços de outras partes.

Floresço-me por entre dedos
nascidos por aí,
em raízes íntimas
da natureza em germinação.

Sou-me vida bravia,
perdendo-me e achando-me
na palma da mão,
minha ou, talvez, não.

20 comentários:

Élys disse...

Bela poesia, muito criativa.
Um abraço.
Élys.

Hellz. disse...

Quanta sensibilidade *-* muito bonito mesmo!

beijo
beinghellz.com

Cláudia disse...

Tão giro =)
Gostei. Achei musical.

Sim, vou casar. Se nada houver em contrário.
No final do Verão sim, mas do ano que vem =)

Tens mais posts com pormenores no blog =)

Beijocas

✿ chica disse...

Sempre inspirada,Pérola! Linda! bjs, chica

Nadine Granad disse...

Lindo...lindo... de (re)ler mil vezes!

Abraços =)

Elvira Carvalho disse...

Gostei.
Um abraço

Denise disse...

Lindos poemas!
Obrigada pela visita!
Bjs e ótimo fim de semana!
http://dedeartes-denise.blogspot.com

Francisco disse...

Amei :)

Beijos

Cidália Ferreira disse...

Uma pérola para juntares a tantas outras.


Beijinhos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

José Carlos Sant Anna disse...

Estou juntando as mãos para, achando-a, não perdê-la, depois de entretê-la entre as falanges...
Beijos,

Sandra Sofia Gonçalves Afonso disse...

Um poema bem lindo e maravilhoso!! Gostei imenso!! A imagem é formidável,excelente fim-de-semana para ti,fica bem querida!!

Fê blue bird disse...

Um excelente poema que é uma interrogação ou talvez não.
Quantas vezes perdemos o fio da vida por entre os dedos.

Um beijinho Pérola

Mariana Penna disse...

Querida Pérola.

Tenha uma doce primavera.

Um beijo.

Sentada na ponta da lua disse...

Finalmente recuperei o tempo para visitar alguns blogs... depois de tanto tempo ausente, continuo a gostar de ler e sentir as tuas palavras.
Beijinhos e bom fim de semana.

Pedro Coimbra disse...

Continue a inventar mundos para nosso prazer.
Bjs, Bfds

Silenciosamente ouvindo... disse...


A sua poesia é sem dúvida uma pérola.
Gosto bastante, amiga.

Desejo que se encontre bem.

Bjs.e bom fim de semana.

Irene Alves

Andreia Morais disse...

A dualidade do tudo-nada, que tanto nos obriga a crescer e a perceber o que temos. É um constante levantar voo e descer à realidade.
Adorei, como não poderia deixar de ser!

Magda Carvalho disse...

Lindíssimo poema
http://retromaggie.blogspot.pt/

ANNA disse...

Te dejo mi blog de poesia por si quieres criticar gracias.
‌Me gusta mucho el tuyo.
http://anna-historias.blogspot.com.es/2016/09/muerte.html?m=1

PINTA ROXA disse...

Gostei do poema e da foto que o acompanha..
Beijinhos bom resto de domingo
Pinta