segunda-feira, 15 de maio de 2017

Na procura

Não me procures em meus pensamentos,
tampouco em minha roupa,
e ainda menos em sonhos 
adornados das minhas vontades.

Não me chames pelo nome,
pelo eco da minha passagem
ou por mim.


Pois não  sabes
que habito no teu âmago (?)
vagueio em teus poros
acariciando-te a pele
em beijos húmidos
que soltas na respiração (?)

Desperta, 
amor meu,
atenta-te ao sopro
que te arrepia,
às miragens do adormecer,
à luz que te arranca das sombras.

Sou eu,
a que mais te quer,
mesmo assim..

Gritas-me e
desconheces-me
quando 
eu
estou,
apenas,
em ti.

4 comentários:

emanuel moura disse...

Maravilhoso querida amiga,profundos sentires ,maravilhosa semana beijinhos muitas felicidades

Francisco disse...

Gostei muito

Bjs

Cidália Ferreira disse...

Uau. Maravilhoso!!

Beijinhos de boa noite

Pedro Coimbra disse...

Mais um texto de grande beleza