domingo, 28 de maio de 2017

Quando



Quando tu me apertas
com teu querer
toda eu sou pele,
esqueço-me de respirar
dissolvo-me no gemido quente.
de teu corpo,
chamando-me ainda mais
como se as mãos,
o abraço 
fossem pouco.

Quando me procuras
e eu já estou em ti
permito deixar de me ser
dissolvendo diferenças
em elevação de um todo
onde eu e tu 
sobramos em prazer
fazendo vida
na agitação doce
de mares sem praia,
de barcos sem bandeira.

Quando tu me beijas
sem decência
toda eu sou capricho,
desalinho completo
sem inicio ou fim
apenas
o instante da eternidade
do desejo sem freio,
de amor
para lá do carnal.

Quando me sussurras
tuas vontades
já as havia lido 
no teu olhar,
sentido em minha essência,
pois se somos
a plenitude de
nós dois,
apetite saciado
em harmonia
de ganas e abundância
de ti,
de mim,
de nós.


12 comentários:

Graça Pires disse...

Amor que é ao mesmo tempo entrega e paixão.
Gostei do poema.
Uma boa semana.
Beijos.

Carpe Diem disse...

Amor, na sua plenitude, nas tuas palavras. Belo poema!
Beijinhos

redonda disse...

Gostei do poema - e depois fiquei a ler as citações aqui na caixa de comentários :)

emanuel moura disse...

Maravilhoso sentimento ,tão belo e gracioso querida amiga, gostei muito beijinhos muitas felicidades

Cidália Ferreira disse...

Humm que bonito!!

Beijos

N a m o r a d o disse...

Lindo <3

Cláudia disse...

Que intenso, tão bom =)

Beijocas

Pedro Coimbra disse...

Paixão quente, quente.
Boa semana

Elvira Carvalho disse...

Gosto. Amor é isso.
Um abraço e boa semana

AFlores disse...

UI, este 'Quando' causou um arrepio :)))))))))))
É bom que não te esqueças de respirar.... é que nem todos têm conhecimento de SBV ;) :)
(claro que sou doido!)
Tudo de bom.
Beijinhos e boa semana.

vitalina de assis disse...

Oi....

Desejo... Quando tornar-se há, Quando em minha vida?

Perfeito!

Quando para mim, em outro espaço, em outro tempo.

Abraços.

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Pérola.
Belíssimo poema de amor e entrega.
Alma nua sem amarras.
É muito bom amar assim.
Beijos na alma.