sábado, 13 de maio de 2017

Sou-me


Sou-me no amarelo do Sol,
no cinzento da estrada,
na terra castanha
que me alimenta.

Sou-me cor
em mundo desbotado,
no limiar de cinzentos escondidos,
tropeços
que me fazem sangrar
como pétalas caídas.

Sou-me sozinha,
em trilho meu,
buscando a luz,
persistindo em dúvidas
e crenças da possibilidade de tudo,
até de mim.

6 comentários:

Manuel Luis disse...

Gosto de caminhar por trilhos destes onde o amarelo se destaca.
Saudades.
Bjs

Maria do Mundo disse...

Gosto tanto de caminhar por trilhos meus!

Cidália Ferreira disse...

muito bom!!


Beijo e bom Domingo.

emanuel moura disse...

Adorei querida amiga, é maravilhoso poder ler tão belos momentos de poesia ,beijinhos muitas felicidades

Pedro Coimbra disse...

Seja bem regressada!
Boa semana

Graça Pires disse...

Excelente poema! Ser sozinha em trilho seu até se reencontrar... Gostei muito.
Uma boa semana.
Beijos.