terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Éramos Nós . . .



As artérias e veias cansavam-se no corrupio que as percorria.
Apressavam-se glóbulos, nutrientes vários e oxigénio.
Nas batidas apressadas, o musculoso coração acedia aos inúmeros pedidos de cada célula.


Éramos nós, amor.

Na azáfama confusa de procuras desejosas,
os teus dedos eram . . . arrepios meus,
as minhas mãos . . . a tua pele desnivelada,
a tua boca . . . o meu doce guloso,
o meu ser . . . o teu gozo.

Entidade desgovernada em pressas,
 sem meta,
metabolismo com velocidade excessiva,
transgressores de normas para além dos sentidos.

Éramos nós, amor.

Nesse bailado em reboliço,
onde o descanso não tinha entrada,
fundiram-se corpos, 
misturaram-se fluidos cansados
na petrificação do momento
com a eternidade como cúmplice.

Éramos nós, amor . . .



19 comentários:

la joie de vivre! disse...

lindo, lindo, lindo! :) parabéns, adoro sempre o que cá leio

Vera Lúcia disse...


Que lindo Pérola!

Bela sensualidade colocada nos versos desta doce dança do amor.

Adorei!

Beijo.

✿ chica disse...

Muito lindo e que bom amar assim! bjs,chica

manuela barroso disse...

Dois corpos na fusão do mais maravilhoso sentido da vida: o amor.
Uma sensualidade terna
Lindo!
beijinhos, P. **

José Carlos Sant Anna disse...

O “éramos” sugere um passado, que deixa no leitor uma dúvida: se perdido e agora lembrado. Ou se um passado supostamente próximo agora lembrado e revivido. Não importa. Importa, sim, perceber o movimento ritmado do amor dado pelas pausas e a fusão dos corpos do Eu e do Tu num só e reiterado pelo verso final “Éramos, nós, amor...” e uma nova pausa.
O que importa é que de tão intenso ainda ritma a vida do Eu revelado pelos sentidos que levam à compreensão do seu corpo pulsante.

Beijos, Pérola!

Cidália Ferreira disse...

Simplesmente Divino! Amei

Tem uma noite Feliz

Beijo
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Mona Lisa disse...

Que poema maravilhoso!

O amor desejado e partilhado!

Beijinhos.

LUZ disse...

Tanta pérola, Pérola!

Olá, menina!

Com este poema, e desta envergadura, é melhor um desfibrilhador, porque não há coração, que aguente.

Eram vocês. Que entrega perfeita! Gostei da imagem, que se integra muito bem nas palavras.

Dias híper felizes.

Beijinhos da Luz.

PS: obrigada pelo pps. Amei, simplesmente.

Dorli disse...

Oi Pérola
Nossa, nossa toda essa loucura interna pode até matar, sabia?kkk
Adorei, é desse jeitinho mesmo, mais ou menos intenso conforme a idade.
Beijos
Lua Singular

Francisco disse...

Adorei :D

Beijinhos

Francisco disse...

Adorei :D

Beijinhos

emanuel moura disse...

Dois corpos numa so alma na pura entrega do amor ,muitos beijinhos querida amiga Perola

Laura Santos disse...

Era tudo isso e um amor desmedido que talvez não coubesse em si mesmo.
xx

eduardo maria nunes disse...

Eram, já não são?
Na azáfama confusa
As batidas do coração
Sentidas de baixo da blusa
Foi tão grande a paixão
Momentos de loucura
Já não sabem onde estão
Terá sido tão bom assim
No principio tudo começa
Para que serviu tanta pressa
Se tudo termina no fim?

Um beijo
Eduardo.

C. ♥ disse...

O amor é demais e faz com que escreva coisas lindas :)

Stephanie disse...

Hello Perola! Thank you for this beautiful story. You have a blessed day!! Love & hugs, Stephanie

Crocheteando...momentos! disse...

O AMOR...delineado sensualmente envolto num aconchego de corpos...poeticamente lindo!!! Bj

Sónia TM disse...

Tão lindo!

Sónia
Taras e Manias

Beatriz Bragança disse...

Querida Perola
Uma linda fantasia, que proporcionou uma festa a quem leu o poema!
Muitos parabens.
Oxala que assim continuem a ser.
Muitas felicidades.
Beijinho
beatriz