quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Sou Mágoa



Parto-me em pedaços,
que abrem vazios cheios de nada,
de preenchimentos incertos.

Despojo-me do sonho,
quiméricas fantasias de mim,
sombras turvas do  ser.

Dispenso-me na vontade,
querer doente,
que me transforma em fantasma.

Perco-me em fragmentos,
pedaços frágeis,
pétalas levadas na brisa.

Adormeço-me na canção do choro,
melodia sem pauta,
sabores de minha boca.

Afundo-me em mares de tristeza,
imensidão descolorida,
casa que me abriga.

Abandono-me, 
a forças alheias,
como cinza de fogos de outrora,
pó derramado em lágrimas.




25 comentários:

Daniel Costa disse...

No seu género, o poema é de gostar. Qualquer poema sempre terá de ser apreciado pela forma e não pela temática.

Abraços

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Tantas vezes " sou mágoa "!!! E essa mágoa " parte-me em " pedaços
frágeis ".. .." afunda-me em tristeza"; algumas afogam-me num mar revolto de raiva, outras, porém não merecem sequer que derrame as minhas preciosas lágrimas. Mágoas doídas que me apertam o peito...me tiram o sono tenho algumas e essas necessitam que eu recupere os " fragmentos " e que inteira me deixe envolver pelo perfume das "pétalas" que a briga me traz. As outras....abandono-as, deixando que se transformem em " pó". Muito bonito, amiga. Parabéns e obrigada; às tuas mágoas juntei as minhas. Beijinhos
Emília

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Desculpa o erro... que a brisa me traz e não briga.
Emília

Cidália Ferreira disse...

Olá Pérola

Muito bonito o teu poema, embora triste.. Adorei!


Beijinho

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

emanuel moura disse...

Uma magoa que nos entristece e nos deixa a deriva procurando os porquês de tantas lagrimas .Querida amiga muitos beijinhos

Mar Arável disse...

Se queres descobrir o mar

perde-te no mar


José Carlos Sant Anna disse...

O poema fez-me lembrar o livro de François Sagan, Bonjour, Tristesse e o filme de Otto Preminger, que leva o mesmo título.
É claro que o desalento do eu lírico é passageiro, logo, logo essa nuvem passa.
Beijos, Pérola!

Pretty in Pink disse...

Que nó no peito me deu agora ao ler o teu intenso poema querida Pérola...Mas um nó de quem gostou de o ler ;)

Beijinho*

Laura Santos disse...

Tantas vezes nos sentimos assim, partidas e desligadas, e depois temos de colar os cacos todos outra vez e retomar a caminhada.
Belo poema, Pérola!
xx

Francisco disse...

Fabuloso

Beijinhos Grandes

Cristina Cebola disse...

Um poema magnífico que nos leva a reflectir sobre a nossa própria essência...e as emoções que nos assolam...:)

beijinho Pérola, gostei muito!

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Falar da mágoa seria um tratado... por ora, fique este registo onde se confina a si mesma, prisioneira que se quer libertar...

beijo amigo

Arco-Íris de Frida disse...

Triste virarmos fragmentos magoados e vazios....

Ives disse...

A canção do choro tem uma melodia tão profunda e cheias de raízes! abraços

Crocheteando...momentos! disse...

Alguma tristeza e melancolia...fazem deste poema um cântico à solidão!!!

Graça Pires disse...

Um poema cheio de nostalgia e de mágoa. Não perca a esperança...
Beijos.

Opinante disse...

Gostei muito.

eduardo maria nunes disse...


Não serás mágoa,
Mais fogo serás
Brasa não apagada
De viva chama continuarás!

Desejo um bom dia
para ti amiga Pérola, um beijo
Eduardo.

Ricardo- águialivre disse...

Poema lindo... adorei

Deixo cumprimentos...
********************************************
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Bárbara disse...

Triste mas muito saboroso de se ler!

PinUp Me disse...

Poema triste?!

Claudinha ੴ disse...

Pérola, o poema é lindo!!!
... e triste...
Desfazer as mágoas é preciso, é como desatar os nós...
Um beijo!

Mona Lisa disse...

Belo poema , transbordando tristeza.

Beijinhos.

manuela barroso disse...

Nem sempre as mágoas são penas.
A purificação da mente não se daria sem alguma regeneração. Para isso, escreveste este tão belo poema.
E cada vez mais e mais ...bela!
Beijinho *

Beatriz Bragança disse...

Querida Perola
Um belo poema, se bem que triste!
Nao se sinta magoa!Nem se despoje do sonho, porque ele «comanda a vida».
Parabens pela forma como escreve.
Tristes ou alegres, os seus poemas soa sempre maravilhosos.
Beijinhos
Beatriz