segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Onde estás?



Ainda agora te sentia,
eras meu
sob o lençol
da minha pele,

Tocava-te
como quem dedilha
a melodia de todos os tempos.

As minhas mãos percorriam-te
no compasso do olhar,
sem maestro,
na cumplicidade
da pele.

Ainda agora te sentia
e já o vazio tomou posse
destes dedos tristes,
sozinhos.

Não te sei,
perdi-te por entre
intervalos,
instantes a que chamam vida.
Não quero acredito.

As minhas mãos
galopam o ar,
em demanda tua,
sofrem
e só te querem sentir . . . uma vez mais.



26 comentários:

Simone Lima disse...

Poema doído, de quem ama e não tem o ser amado perto de si. Inclusive, vida de muitas pessoas que amam. Triste, porém lindo!

Feliz Ano!
Beijoo'o

Simone Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
✿ chica disse...

Triste procura e poesia! bjs, chica

Elvira Carvalho disse...

Poema de solidão, que vive de recordações. Triste.
Um abraço e um excelente ano

As Duas na Letra disse...

este foi sentido...

Paulinha

Mona Lisa disse...

Amar sem ser correspondida é uma dor eterna!

Magnífico e melancólico poema.

Beijinhos.

Bruxa disse...

Triste! Mas assim é a tristeza na poesia - bela.
Um ano de bênçãos e vitórias pra vc e todos os seus.
Abração esmagador.

Crocheteando...momentos! disse...

Um belo momento...em que senti a saudade de "me sentir amada"!!!
Bj amigo

Bell disse...

O que é verdadeiro permanece pra sempre!!

bjokas =)

vendedor de ilusão disse...

Não há outra forma de expressar a ausência a não ser com tristeza; lindo, gostei muito...
Aproveito para deixar-te os meus votos de felicidade e reiterar o meu desejo de que, neste Novo Ano que acabou de nascer, sejam almejadas as tuas mais profundas aspirações.
Abraço e até mais!

Chris Eldridge disse...

Suas palavras fazem jus ao meu maravilhoso fim de ano e péssimo começo ... triste.

NEW ERA TIMES
new-era-times.blogspot.com.br

Arco-Iris disse...

O Amor também faz doer....
Belo momento de Poesia.
Beijinhos

José Carlos Sant Anna disse...

Este eu, a memória
e o outro, sobretudo
o outro
e essas mãos vazias
infindáveis na procura...
Beijos, Pérola!

Poesia do Bem disse...

Maravilhoso te ler.

Ivone disse...

Belos e ao mesmo tristes versos,repleto de poesia!
Abraços linda amiga Pérola, feliz ano novo!

Andrea Bitencourt disse...

Olá Pérola!!
Lindo texto, com vívidos traços de saudade...ela é parte de tudo que somos, não é?
Beijos com os desejos de um 2015 recheado de coisas boas pra você e toda família!!! =)

Edumanes disse...

Não sei o que dizer,
mas, sou livre de pensar
a sorrir te quero ver
a tristeza faz chorar
continua a escrever
para eu ler quando voltar!

Continuação de bom Ano Novo para ti amiga Pérola, um beijo.
Eduardo.

Andreia Morais disse...

Essa ausência custa sempre, até porque a memória da presença será sempre mais forte.
É impossível não adorar o que escreves!

Beijinhos*

Cláudia disse...

Lá fiquei eu a pensar em ....coisas!

Beijocas

Cidália Ferreira disse...

Poema soberbo, parabéns

Semana feliz
Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

emanuel moura disse...

Saudades que o tempo teima em recordar ,um belo poema cheio de tristeza ,mas com certeza tambem ela faz parte da vida ,muitos beijinhos

Laura Santos disse...

Ah como eu conheço esse deslizar de tudo o que desejamos, por entre os dedos...Estava mesmo agora aqui e já se foi...porquê?
Belo poema, com o qual me identifico.
xx

Pedro Coimbra disse...

Uma ausência ainda muito presente?

Isa Sá disse...

Bonito...mas um pouco melancólico...

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Agostinho disse...

Amores de pérola
recordações de madrepérola.

EU disse...

Depois da perda, há o luto...
Muito bom!
Bjo, Pérola