quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Por entre esquecimentos com Caetano Veloso




Por entre revoadas
de lembranças,
vou ensaiando o teu esquecimento.

És como sopro 
que desgrenha meus cabelos.

Domando-os, 
esvais-te na saudade,
desmanchas-te na passagem do pente.

No eco do teu voo,
sinto-te no vento
que chama por mim.

Não sei aprender a te esquecer
pois se cada respiração sabe a teu ar,
como atmosfera por onde esvoaças,
aragem que me lembra de ti.

Pérola





33 comentários:

Audrey Andrade disse...

E o tempo passa e aprendemos a conviver com a dor da ausência. A ferida cura, mas fica a cicatriz de uma ferida que o um dia nos fez feliz!

Adorei seu canto! Sigo-te!

Juliana Rosa disse...

A dor é substituída pelo tempo e as novas alegrias pois o choro não pode durar para sempre. Como sempre maravilhoso.

Edumanes disse...

Não percas mais tempo, vai a correr,
ao encontro de quem chama por ti
não te deixes pela tristeza vencer
com tada a sinceridade te digo daqui!

Por entre esquecimentos,
esquecido onde não sei ficará
num mundo sem sofrimentos
toda a gente feliz viverá!

Te desejo uma boa tarde de quarta-feira,
um beijinho

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, defendo que devemos manter a memoria sobre o passado, só assim, consegue-se rectificar para depois avançar.
AG

Gracita disse...

Oi Pérola
Seria muito bom poder esquecer algumas coisas de vez em mas a memória é fotográfica e qualquer detalhe já traz à mente coisas que desejamos esquecer, temos que aprender a não sofrer com as lembranças.
Beijos

José Carlos Sant Anna disse...

O lirismo de Caetano é inebriante.
E que tal se fundíssemos o de Caetano com o de Chico para que ele ficasse no teu corpo feito tatuagem? Seria bom?

Beijos, Pérola!

Edumanes disse...

De um alentejano para uma ribatejana,
de felicidade a sorrir à beira do Rio Sado
para passar férias na praia tem uma cabana
de barco atravessa o rio para o outro lado!

Quando fores a remar,
tão te deixes levar à toa
pelo vento forte a soprar
desde a ré até à proa!

Quem te avisa,
teu amigo é
por isso acredita
com esperança e fé!

Um beijo.

Omar enletrasarte disse...

nadie puede aprender a olvidar, los que olvidan es porque lo traen desde la cuna
,
saludos

Arco-Iris disse...

Esquecer e viver com a ausência de quem se ama muito , é muito difícil.
Gosto muito de Caetano Veloso
Beijinhos

emanuel moura disse...

Memoria de uma ausencia que tantas dor causa ,maravilhoso momento ,muitos beijinhos Perola.

Zulmira Romariz disse...

Caetano Veloso já é uma lenda, gosto
bom, o teu poema foi bem integrado,
beijo amiga

Carmem Grinheiro disse...

"Não sei aprender a te esquecer" - nem todos o sabem.

bj

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

E por vezes devemos apenas transformar as lembranças em doces saudades...

um beijo amigo

Lucas - Blog: Overture disse...

Entre as perguntas que nos despedaçam e a que nenhum de nós responde, vai esta: por que pessoas essenciais passam, desde o não sei quando, para o não sei onde?! Beijosssssss

Pedro Coimbra disse...

Quando não resulta, quando não há química, o melhor mesmo é esquecer e ir em frente.

Irene Sarranheira disse...

Olá bom dia, esquecer é nunca se lembrar, mas como fazer isso se nunca me esqueço??

Bjinhos ♥
http://sarranheira.blogspot.pt/

Agostinho disse...

Saudade não é esperança
mas quem espera alcança.
Respira aspira sorri e dança.

Bj, Pérola.

Andreia Morais disse...

Que lindo, Pérola *.*

Solange Duarte disse...

lindo..

bjs.Sol

Marijleite disse...

Oi; eu amo essa música do Caetano, e com as suas lindas palavras ficou ainda mais bonito.

petalasdeliberdade.blogspot.com

vendedor de ilusão disse...

Sempre é bom ler coisas belas e agradáveis... Foste feliz na escolha dos poemas de Caetano!
Beijos.

aflores disse...

«Recorda-me, não me desejes» foi uma frase que jamais esqueci e que me foi dita por duas pessoas ... a primeira abandonou-me quando eu tinha 3 anos de idade, a segunda foi um amor/paixão que eu sabia (im)possível de concretizar.

(já te estou a ver a perguntar: «para quando o livro?»)

ehehehehehehehehe

Tudo de bom.

Elvira Carvalho disse...

A memória é uma coisa esquisita. às vezes esquecemos com facilidade coisas que não devíamos esquecer. Outras vezes levamos a vida a desejar esquecer o que não nos sai do pensamento.
Um abraço

Labirinto de Emoções disse...

Olá Pérola
Ninguém nos ensina a esquecer... e mesmo que procuremos outros braços ... há coisas que NUNCA se esquecem...
O teu poema é lindo!
Um beijinho
Teresa

Guaraciaba Perides disse...

amor não se esquece...pode ficar incubado na alma .
um abraço

Emília Pinto disse...

Nem sempre conseguimos esquecer determinados factos que nos trouxeram sofrimento; quanto mais tentamos varre-los da memória mais eles nos aparecem. Só o tempo pode resolver esse assunto, mas o tempo às vezes demora tanto tempo!!!!. Obrigada pelo belo momento de poesia. Fica bem, amiga. Um beijinhos
Emília,

Manuel Luis disse...

Uma fundição bonita com o Caetano.
O tempo é factor primordial.
Bj

ReltiH disse...

UNA TRISTEZA BELLAMENTE ESCRITA.
BESOS

tulipa disse...


Olá

Penso que é a 1ª vez que aqui venho...não conhecia este cantinho.

de Setúbal...?
eu aqui perto, Moita.

Seria muito bom poder esquecer algumas coisas de vez...
Outras há que queria recordar e varreu-se...
enfim...
a nossa memória é selectiva
ela lá sabe porque esqueci
ou, porque tenho que lembrar!

Por aqui tenho sempre notícias frescas, a escolha é sua
Envio o menu:

http://momentos-perfeitos.blogspot.pt/
Quem prova Bebinca não lhe fica indiferente.
No entanto, não é um doce fácil de fazer, requer alguma perícia e prática para ficar bem feita. Refiro mais uma vez que esta é uma receita maravilhosa, originária de Goa, habitual em altura de Festas!

http://tempolivremundo.blogspot.pt/
COMECE A POUPAR PARA AS FÉRIAS - Nos dias que correm, não é fácil ter DINHEIRO para férias, no entanto, se tivermos o cuidado de ir fazendo uma ginástica nas despesas, garanto que se consegue, é só tomar atenção a alguns conselhos

http://pensamentosimagens.blogspot.pt/
Cada dia uma descoberta, uma aventura, uma luz, uma paisagem, uma partilha, um saber, um cheiro, um sorriso. Seguindo o pensamento de "Aldo Novak"
"Sua vida pode ser uma comédia, uma aventura ou uma história de superação, sucesso e amor. Mas pode ser também um drama, uma tragédia ou a monotonia da não-mudança. Porque todos nós temos tudo isso em nossas vidas.
O que muda é como editamos, em quais experiências mantemos o foco e sobre
o que falamos. Fale do drama, e sua vida será um drama.
Fale da aventura e a mesma vida será deliciosa.
ORA BEM...falarei sempre de AVENTURA para que a minha Vida seja deliciosa!

Um abraço bem grande da Tulipa

Graça Pires disse...

Ausências que transformam as palavras em poemas...
Beijo.

ONG ALERTA disse...

A dor ensina a sobreviver....
Beijo Lisette.

EU disse...

Gostei muito desta partilha do Caetano Veloso. Do poema, destaco a 2:º e 3.ª estrofes que acho muito bem conseguidas.
Bjo, Pérola :)

Bell disse...

Ausência doí e não é tão simples de se lidar....

bjokas =)