domingo, 14 de abril de 2013

Fugiria Eu . . .



Fugiria . . .

Para local deserto
Onde os pensamentos sorrissem.

Para sítio distante
Onde os silêncios fossem ilegíveis.

Para lugar ermo
Onde a ilegalidade da dor habitasse.

Para terra condicional
Onde os verbos se conjugassem incondicionalmente.

Fugiria . . . Mas como ?

Se a sombra de mim :

Me aviva pensamentos tristes.

Me grita silêncios decifrados.

Me magoa no abismo do sofrimento.

Me fala em modo imperativo !


11 comentários:

Margarida Alegria disse...

Bom dia! :)))
Finalmente , consigo ler os teus posts (nos últimos dias, abria e só via pérolazinhas, pérolas e pérolas, e a barra da música em baixo e nada de texto! :(
Aqui o sol radia! Bom Domingo e até logo! (a ver se é desta)
Beijo grande!

✿ chica disse...

Sempre que pensamos fugir somos acompanhados dos motivos da fuga! beijos,chica

Azul do Mar disse...

Nada de mais ahah, fisica é um "bocadoo" dificil (pelo menos para mim...) foi só um desabafozinho visto que estou com uma quantidade de trabalho em cima que nem te digo nada...

Bom fim de semana btw :)

Arco-Íris de Frida disse...

Nao tem como fugirmos de nos mesmos...
Um otimo domingo...

Azul do Mar disse...

Já agora, Tens um desafio no meu blogue! Beijinhos :)
-azul

Jovem $0nhador@ disse...

Como sempre gostei do texto =)

Só em Palavras disse...

Com certeza eu tambem...
Lindo e especial dia!
http://soempalavras.blogspot.com.br/
Copyright©soempalavras

Rui da Bica disse...

Há sempre "condicionalismos" que "imperativamente nos impedem", Pérola ! ... Na realidade, não somos livres !
Gostei muito ! :)))
.

Maria disse...

Como vai sendo hábito foi um prazer ler-te!!!
Bjs
Maria

Francisco disse...

Será que valeria a pena fugir?!

:)

Beijinhos Grandes

Mona Lisa disse...

Somos prisioneiros das mágoas!

Magnífico poema!

Beijinhos.