quarta-feira, 3 de abril de 2013

História de uma Prisioneira ! ?


Furtada nas desoras da sede esfomeada do desejo, abandonou-se ao cárcere sem reservas. 
Conduzida por veredas que sussurravam o seu nome. 
Palavras que lhe recordavam o corpo mergulhado nela. 
Pressentia a pele arrepiada entre gemidos acorrentados em doces demoras. 
Absorvia-se, envolta em ternura, no vácuo do tempo.
Adivinhava cada átomo seu na descoberta das partículas dele.
Cativa na emoção da masmorra acolhida.
Perdera-se!
De Si!
Por Si!
Não ousava achar-se.
Não queria!
Não podia!
Na penumbra a névoa do arrebatamento tomava conta de cada poro.
Murmurava vontades indomáveis que ele abrigava como se fossem suas.
Rebeldes, fugindo ao tempo, ocultos pelo abrigo, enclausurados.
Prisioneira voluntária, caprichosa, teimava na delonga do véu da paixão.
Ansiava mais, por mais...
Mas . . . o Sol veio libertar as horas e soltou-lhe os grilhões.
Os sentidos despertavam no tempo alterado. 
Vagarosamente, desenergizada, num torpor apetecido, acordava no morno perfumado de odores inebriantes.
Espreguiçava-se lentamente, de olhos cerrados. 
Recusava-se a pactuar com a medição dos momentos que a convocavam para a vida.
Vida?
Quem lhe dera continuar no limbo da cadeia onde fora Ela, na nudez da sua essência.



14 comentários:

edumanes disse...

Prisioneiro num sítio
Gostaria eu de estar
No calor, não no frio
Junto de quem não digo
De noite ao luar!

Muito bom seria
Estou a imaginar
Prioneiro por um dia
Só, não quero ficar!

Obrigado Pérola amiga
Serias tu a prisioneira
Te iria libertar acredita
Para a vida inteira!

Boa quarta-feira e um beijo para ti.
Eduardo

Maria disse...

Quantas vezes somos verdadeiros cativos de nós próprios...amei!É sempre um gosto visitar-te!
Bjs
Maria

Jovem $0nhador@ disse...

Um bonito texto!

Rafeiro Perfumado disse...

Acho que ela está a precisar de comprar um GPS...

Milita* disse...

lindo :)

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Muito lindo Pérola!Um texto para ser lido várias vezes.

bjs.
Carmen Lúcia-mamymilu.blogspot.com

Francisco disse...

Gostei muito ;)

Beijinhos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Muitas vezes somos nós a construir a nossa própria prisão e depois não nos conseguimos libertar. AdoreI
Beijinho

Panurgo disse...

Outro dia li uma história semelhante, mas na primeira pessoa, duma certa poetisa americana. Falava ela de prisões:

"(Marilyn) Manson started calling me – every day. When I wasn’t there, he would leave me half-humorous, half-insane messages about wanting to set me on fire or feed me to Corey Feldman. Since my marriage to Rod was loveless and sexless, I started seeing Manson on and off. But the more I got to know him, the weirder he became. He would talk about wanting to see girls fuck prosthetic limbs or sucking Twiggy’s dick, and I’d never be able to tell to what degree he was joking and to what degree he was serious. And he wanted to fuck me in the ass a little too often for my comfort. Every time we were naked, he’d be going for my butt like a rat to cheese.”

Vera, a Loira disse...

E não somos, fomos ou seremos um dia todas nós prisioneiras?

Arco Iris disse...

É muito bom, chegar aqui e deliciarmo-nos com este lindo texto.
Beijinhos

Secreta disse...

A prisão mais difícil de suportar...aquela a que nos sujeitamos, no nosso interior.
Beijito.

Valsita disse...

Lindo... Já tinha saudades de te visitar. estes dias nem tenho tido uns minutos para te ler...
E ler-te faz-me sempre tão bem...

Mona Lisa disse...

Uma dependência, qual droga, que faz sofrer!

Beijinhos.