quarta-feira, 9 de abril de 2014

Chamamento do ar



O ar chamou-me.

Quis contaminar-se de mim,
e eu fiz-lhe a vontade.

Corrompi-o ao dar-me,
só eu, 
na inteireza de ser-me.

Ficou poluído,
o pobre.

Contagiado com os meus germes da dúvida,
agentes de inquietação,
e desassossegos afins,
levou-me numa rajada só.

Segui-lhe o chamamento,
elevei-me por atmosferas apetecidas
e fui eu.

Ele deixou.

Dancei por vendavais,
brisas suaves.
nortadas
e ventos desatinados.

Não mais foi o mesmo,
este ar
 que me enche o peito.

Já me conhece,
contém fragmentos de mim,
marcas que o cicatrizam.

Mas, as feridas ficaram comigo.



35 comentários:

mmm´s disse...

Intenso e profundamente perturbador

Maria Eu disse...

Voar por dentro de nós!

Beijinhos Marianos, Pérola! :)

M D Roque disse...

O ar em movimento fez-te vento, fez-te brisa, calmaria e vendaval. Tomou-te a essência e deixou-te as cicatrizes ao ar.
BJK

Célia sousa disse...

E assim tudo o vento levou...
e nada ficou para recordar!

Abraço Célia Sousa

Célia sousa disse...

E assim tudo o vento levou...
e nada ficou para recordar!

Abraço Célia Sousa

Laura Santos disse...

Belíssimo poema!
As feridas ficam sempre connosco...mas tudo passa, como o vento. Pode é levar mais tempo a passar.
xx

Nal Pontes disse...

Linda poesia. As feridas sempre deixam marcas, mas que tragam grandes lições. bjsss

Arco-Íris de Frida disse...

Lindo...

Luma Rosa disse...

Oi, Pérola!
Existe o risco e o preço do envolvimento. Calhou de ficar a dor, mas poderia ser diferente!
:)
Beijus,

Amara Mourige disse...

Que lindo Pérola!!As feridas curam amiga!
Beijos
Amara

Cidália Ferreira disse...

Bom dia Pérola

Poema muito bonito...Fica sem algo dentro de nós que não voa.

Beijinhos


http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

PINTA ROXA disse...

As feridas...
Essas ficam sempre.
Beijos bom dia

Ricardo- águialivre disse...

Bom dia

Simplesmente...BRILHANTE

Deixo abraço
**********************
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Opinante disse...

Fazes magia com as palavras ;)

aflores disse...

Depois de 20 minutos de Spinning :))))))))) ao som de Safriduo ;) sabe bem passar por aqui para deixar um beijinho e um abraço.

Tudo de bom.

Dorli disse...

Oi Pérola,
Lindo e reflexivo poema.
Podemos mudar para qualquer lugar levamos conosco nossos fragmentos de amor, injustiça, bondade e todos os outros adjetivos que temos.
Nada e nem ninguém muda uma pessoa, parece que ela nasce predestinada a ser ela mesma.É imutável.
Beijos
Lua Singular

Mona Lisa disse...

Excelente poema que me deixou a reflectir!

Beijinhos.

Lilasesazuis Gata disse...

Ah...o ar é vital

Ele sabe dos nossos segredos íntimos!!

Em tudo de nós ele está.

Beijinhos, Pérola e tenha um lindo dia!!

Lígia e =^.^=

Bell disse...

O tempo cura as feridas, mas as cicatrizes sempre permanecem.


bjokas =)

ᄊム尺goん disse...

[ ahh estes amores
Quando espreitam
sobre os corações...]


beij0

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

As cicatrizes ficam para lembrar que apesar da dor existe outro tanto amor... e alegria!

beijo amigo

✿ chica disse...

Instigante poesia!Linda! beijos,tudo de bom,chica

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde,
Lindo poema, as feridas doem mas tem cura, o remedio é uma nova felicidade.
Dia feliz.
ag

Boa tarde,
A Sylvia Kristel é inesquecível para sua enorme beleza, poucos dias atrás assisti a um filme com ela, sempre fui um apaixonado por ela, confessei-me.
Dia feliz
ag

http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

CamilaSB disse...

"e fui eu"... o importante é que sejamos sempre nós próprios...
Belíssimo poema Pérola! É sempre um prazer passar por aqui :) Beijinhos!

A disse...

Infelizmente as feridas ficam sempre connosco, fazem parte daquilo que somos.

Beatriz Bragança disse...

Querida Pérola
Um belo poema, que não tem nada de trivial!
Bem profundo e a descrever uma poética osmose!
Parabéns.
Beijinho
Beatriz

eduardo maria nunes disse...

Maroto, eu, não sou!
Vais com ele morar
Com o ar que te convidou
Não tens asas para voar?

Com esperança e fé!
O destino assim quisera
Tem cuidado Pérola
Quem avisa, amigo é!

Um beijo.

emanuel moura disse...

Sempre majestosa querida amiga Perola , muitos beijinhos

Francisco disse...

E, eu adorei :D

Beijinhos grandes

Cristina Cebola disse...

Gostei muito Pérola, desse ar que se encheu de ti e que te mostrou realmente quem eras...
Que importam as cicatrizes, se as feridas foram curadas?

Beijinho imenso!

. intemporal . disse...

.

.

. as feridas fazem parte dos atos de construção .

.

. um beijo meu .

.

.

José Carlos Sant Anna disse...

Um belo achado a metáfora do ar. Essa relação dialética entre o exterior e o interior e o mecanismo da transferência pela descoberta do ato de dizer, só possível pela construção da escrita em que vela e desvela, como se a "nudez" fosse um ato tão simples quanto "aparenta" no poema. E, claro, a metáfora do ar no poema exerce uma ação fundadora, transformadora. Belas imagens, bela dicção.
Beijos, Pérola!

Maria Silva disse...

Feridas, minha querida, ficam sempre dentro de nós. Sobretudo se mal ou recentemente cicatrizadas...

Maria disse...

Ainda que as feridas permaneçam...vale sempre a pena:)) Lindo como sempre!!
Bjs
Maria

EU disse...

Gostei imenso...Que bom contaminar o ar com aromas poéticos! Ele é que ficou mais puro! Oxalá conseguisse polinizar as mentes sem alma...

Bjo, Pérola :)