quarta-feira, 30 de abril de 2014

Só porque sim !

                                                     

Despedi temporais,
soltei as lágrimas,
inundei-me de mim.
Só porque sim.

Desnudei a vida,
brinquei aos deuses,
perdi-me de mim.
Foi bom, pois sim.

Desalojei tristezas,
raptei purezas,
tingi-me de marfim.
Claro que sim.

Desvalorizei trivialidades,
busquei um anjo,
tornei-me motim.
Foi o inicio do fim . . .




39 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo e não só porque sim.
Beijos,
Renata

São disse...

Lindo, só porque sim!

Abraço amigo

Emília Pinto disse...

De vez em quando, pelo menos, temos de dizer: " é assim, porque sim! É muito bom fazer isso, " pois sim!Depois talvez nos arrependamos, mas " foi bom, claro que sim!"
E é claro também que o " anjo " que buscamos nem sempre nos atende e então temos de concordar que essa nossa ousadia " foi o início do fim daquilo que procurávamos com essa atitude, mas devemos insistir fazendo assim o início de um novo começo. Há a cada dia um início do fim, mas também há um começar de novo a cada amanhecer.
Lindo, Pérola! Gostei.
Um beijinho e um bom feriado.
Emília

Luma Rosa disse...

Oi, Pérola!
As mudanças sempre carecem de vontade ou necessidade.
Por que sim!
:)
Beijus,

✿ chica disse...

Tu és danadinha de tão bem inspirada! LINDA poesia,adoro!! beijos,chica

Crocheteando...momentos! disse...

Foi o início de muita coisa!!!
Gostei! Bj

Eduardo Maria Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo Maria Nunes disse...

Despedistes temporais!
Ficastes com a bonança
Coisas boas não são demais
Nunca percas a esperança.

É lindo o teu poema,
És uma poetisa afamada
Se me deres o tema
Escrevo-te uma quadra!

Tenhas uma ótima noite,
e um primeiro de Maio em liberdade,
um beijo para ti amiga Pérola,
Eduardo.

Suzete Brainer disse...

Um sim autoconhecimento,à vida,

ao sentir e as mudanças...

Um belo poema que canta a vida!

Gostei da tua gentil visita,grata!

Apreciei muito este teu

espaço e voltarei...

Beijinho.

Laura Santos disse...

Os motins são necessários em certas alturas.
Belo poema, Pérola.
xx

Gracita Fraga disse...

Oi Pérola
Só porque sim... lindo e emocionante teu visceral poema
Beijos e afagos no coração
Gracita

C. ✿ disse...

Só porque sim.. mais umas belas palavras escritas :)

Maria disse...

E todo o fim antecede um recomeço...só porque sim!!!! Lindo...de palavras a fluir diretamente do peito..!
Mil beijos!
Maria

Léia Silva disse...

Bom dia!
Claro que sim - sempre!
Te desejo um ótimo feriado.
Bjim
Léia

Jorge disse...

Uma só palavra: Magnifico!

M D Roque disse...

Bem musicado, faria uma canção inesquecível, só porque é lindo :):):)

emanuel moura disse...

Desbravei embrenhado na profundeza do meu ser todos os sentimentos assaltantes da minha alma ,muitos beijinhos Perola

Bárbara disse...

Está fascinante! Parabéns :)

SANTA CRUZ disse...

Perola: Despedistes de tu e foi Sim Lindo de mais adorei.
Beijos
Santa Cruz

Andreia Morais disse...

De vez em quando é bom perdermo-nos de nós só «porque sim», até porque vemos a vida de uma outra força. Desafiamo-nos de outra maneira. E crescemos.
Adorei, como sempre!

Beijinhos*

Elisabete disse...

Mais uma excelente criação poética!
Bjs

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

...Mas às vezes é preciso chegarmos aos fim para recomeçar :)

beijinho amigo

EU disse...

Belo poema, quer pela sua estrutura, quer pela mensagem. Ritmado, parece acompanhar a determinação de mudança.
Parabéns, Pérola
BJO .)

Flip disse...

Pois então, não sim? Gostei de ler esse.

. intemporal . disse...

.

.

. e o poema nasce e renasce as.sim . :) .

.

. um beijo meu .

.

.

José Carlos Sant Anna disse...

Pois sim. Não há dúvida, mas do que qualquer em outra manifestação literária, a poesia tende a ser autobiográfica, mas não significa necessariamente que o que poeta escreve é autobiográfico só porque há manifesta a presença do eu. E se o poema traz de forma tão incisiva um eu lírico exprimindo um desejo de mudança tão vigoroso, é aí que o leitor tende a acreditar que não é uma manifestação do eu lírico, e sim do poeta. Mas não é bem assim. O poema é o que diz através do discurso do sujeito da enunciação, é este que “se torna motim” levado por razões não expressas, como no Soneto de Separação de Vinicius de Moraes. "De repente, não mais que de repente...". E haja vigor nessa escolha semântica, pois, acima de tudo, se encaixa como uma luva no desenlace do poema.
Beijos, Pérola!

P.S.: Estive ausente movido por um lapso de feriados na minha terra. A intenção seria descansar, mas volto mais cansado para a labuta de sempre.

Armando Sena disse...

E porque não haveria de ser assim?
Buscar o desejo? Claro que sim.
bj

SOL da Esteva disse...

...E porque não ser-se assim?
Há momentos de tudo e a Vida permanece "nossa".
Vivê-la com sentimentos livres, é bom, é edificante, é libertar a paz...
Lindo. Parabéns.


Beijos


SOL

© Piedade Araújo Sol disse...

e só porque sim!

nem sempre é sempre o fim!

:)

Estouvadita disse...

Adorei! Simplesmente fantástico!

Dorli disse...

Oi Pérola
Tem que ser assim?
Poderia ser diferente se a poetisa quisesse
Linda poesia
Beijos
Lua Singular

Rute disse...

Que lindo! Só porque sim e pronto!!!
Beijos , ótimo final de semana

Rute disse...

Que lindo! Só porque sim e pronto!!!
Beijos , ótimo final de semana

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde,
as dores humanas são atenuadas no momento em que o sol ilumina novamente a parte mais sombria do amor.
Dia feliz
ag

http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

Teresinha disse...

Adorei este espaço e vou segui-lo... porque sim!!!
Li alguns poemas lindos... tenho de ler todos... porque são lindos e... porque sim!!!
Beijos

Mona Lisa disse...

E foi assim, só porque sim... que escreveste este magnífico poema!

Beijinhos.

Maria Silva disse...

Afinal...até somos porque sim.
Bom é ser-se positivo, de preferência a optimista
Porque sim.

FireHead disse...

Tão simplesmente sim. Nem sequer ficou espaço para o "nim". :)

Beatriz Bragança disse...

Querida Pérola
Quando decidimos dar uma reviravolta na nossa vida,devemos fazê-lo!
Chorou!Tentou fazer com que parecesse que tudo estava bem!
Mandou embora a tristeza!
Revoltou-se!
Não surtiu o efeito desejado?!
paciência!!! Pelo menos...tentou!
A excelência do poema é que não precisa de tentativas: está sempre presente.Parabéns.
Beijinho
Beatriz