sábado, 11 de outubro de 2014

Pensamentos sem chão



Vã ilusão é a da escolha!
Pensa-se decidir,
assumir o controle,
tomar o leme de si.
Avalia-se
pondera-se,
na racionalidade
como se quisera ser responsável,
consciente,
cidadão daqui.

No jogo universal
sopra uma poeira inusitada,
uma qualquer condicionante
não considerada,
e caem por terra planos,
sonhos embrionários,
desmembra-se o ser
soltando o que houvera querido.

É-se bolha de ar, 
grão de areia,
gota de água.
O mundo não seria igual
sem cada um, 
mas,
de longe,
até poderia parecer.

Existe-se no que se conhece,
finitude de si,
limitado por  fronteiras
sem linhas,
mero ponto cósmico.

Acomoda-se no alheamento,
disfarça a ignorância
e vai arquitectando fantasias
futuros aprendidos,
objectivos que chama seus.

Vã é a mente,
ou será esta a ilusão?


20 comentários:

aflores disse...

Como eu gostava de ser nada, ou tudo ao mesmo tempo. Ilusão, sonho... tormento.
Dor e cura

....


como eu gostava.

De nada. Disponha!

Será iliusão ou simples... pensamento?

(ui... cá para mim foi da sangria)

Tudo de bom.

Edumanes disse...

Futuros aprendidos
sem chãos
no passado perdidos
desejos em vãos,
ficaram escondidos
não mais voltarão
coisas dos tempos idos
magoaram o coração
com desejos fingidos!
Não se sabe de quem são,
são de alguém que os perdeu
e voaram com a imaginação
de quem esse poema escreveu!

Bom fim de semana para ti amiga Pérola, um beijo.
Eduardo.

Anne Lieri disse...

Pérola, somos mesmo muito pequenos diante da imensidão de mistérios do Universo. Que poesia linda e profunda,adorei! bjs,

Maria Silva disse...

Toda a mente arquitecta planos e cria objectivos.
Mas a mente contém uma razão preguiçosa que lhe vai sussurrando que nem valerá a pena... e parte assim para outros mais comesinhos e imediatos.
E tudo se vai arrastando e deixado ao vento e ao acaso como grãos de areia que rodopiam nos dias a viver.
Tudo não passa então de "rêverie"...

Cidália Ferreira disse...

Uma Pérola de Poema!!

Por vezes também sou nada.
Amei

Beijos
Bom Domingo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Morning Dreams disse...

Adorei! :)

Sofia Pinto

Morning Dreams

Francisco disse...

Às vezes um pouco de ilusão é bom :)

Beijinhos e bom fim de semana

ReltiH disse...

EXCELENTE TITULO. EXCELENTE EXISTENCIALISMO.
UN ABRAZO

. intemporal . disse...

.

.

. e tantas vezes a escolha precede todas as in.certezas .

.

. um imensíssimo beijinho .

.

.

emanuel moura disse...

Que acima de tudo saibamos distinguir a realidade da ilusao da forma mais sincera possivel com nos proprios ,muitos beijinhos querida amiga Perola

Andreia Morais disse...

Vivemos entre escolhas e ilusões, muitas vezes sem saber a qual dessas categorias corresponder determinado momento.

Adorei!

XicoAlmeida disse...

Conturbados tempos estes...
Entre o pensar e o querer do ver e sentir e tal como o poeta, gritar em silencio...

José María Souza Costa disse...


Olá
Amanhã, é um novo tempo.
Passei para lhe desejar Paz, Saúde e Alegria.
Todo tempo, é de reflexão. E este, nos convida sempre á refletir, principalmente, sobre nós mesmo.
Feliz tudo.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Mundo! Somente quem o criou saberá entender os seus mistérios. Bastante profundo o teu poema. Amei!

Beijos e um ótimo domingo para ti e para os teus.

Furtado.

Marcos Satoru Kawanami disse...

profundo e bem pensado.

MARILENE disse...

Ainda que os giros da vida nos mudem os caminhos, não deixamos de sonhar e de refazer as nossas rotas. Nossa principal escolha é a de seguir em frente. Bjs.

Beatriz Bragança disse...

Querida Pérola
É isso mesmo!«Existe-se no que se conhece!»
Os seus devaneios continuam muito profundos!
Um beijinho
Beatriz

rosinha cruz disse...

Lindo :)
Tem sorteio no meu cantinho:)
Beijinhos

Crocheteando...momentos! disse...

Não gosto da palavra "ilusão"!
Gostei do poema!
Bj

Agostinho disse...

Basta pôr-lhe asas para que se fixem no chão.
Boa noite, Pérola. Experimente as asas ou âncoras se o nada for no mar. Se calhar...