quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

histórias


Desenrola-se a narrativa
como pergaminho antigo,
enrolado sob pedaço de cordel,
atada no fio do tempo.




Sou uma vida
de começos vários,
recomeços ainda mais
sem me faltarem inquietações,
dúvidas e falta de chão.

Falto-me a mim,
meu maior medo,
sobro-me em aparas de arrependimentos,
escorro-me no não
quando me apetece sim.

Oh! História da minha vida!
Vem contar-ma outra vez!



10 comentários:

Cláudia disse...

Adorei!
Adoro recomeços.

Beijocas

Andreia Morais disse...

Há infinitas histórias em nós!

Adorei *.*

Beijinhos*

Cidália Ferreira disse...

Uma verdadeira Pérola!

Beijinhos

Francisco disse...

Muito bom

Beijinhos e boas festas :)

ANTONIO AFONSO disse...

A vida são fragmentos de experiências separadas pela emoção do ser...que sempre desejo o recomeço de si mesmo...e o medo o travão que nos mantém vivos...

Belo poema.

Abraço

Demian disse...

Hermosos tus poemas te deseo las mejores de las fiestas!!!

emanuel moura disse...

Nada mais propício que o renascer para a vida a cada amanhecer, querida amiga desejo-lhe um Santo e Feliz Natal para si e para todos quanto ama,beijinhos

Cidália Ferreira disse...


Que o este Natal seja de: Paz...Amor...harmonia, no aconchego familiar, sem entrarmos em exageros...Principalmente, que tenhamos saúde. Extensivo aos vossos familiares e amigos.
Que todo o Mundo tenha direito ao Natal... BOAS FESTAS.

Lilá(s) disse...

As luzes cada vez mais brilham nas ruas...
Que este Natal a maior luz brilhe dentro de cada coração.
Desejo-te um Natal cheio Paz e Alegria , Saúde e Amor
Bjs

Táxi Pluvioso disse...

Venho desejar um bom Natal.