quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Confidências...em jeito de Desafio...ou...vice-versa.

*THE VERSATIL BLOGGER AWARD 
7 COISAS SOBRE MIM*
O Blogger talentoso JP propõe este desafio, falar sobre nós próprios.
Quer-me parecer que já sabem mais sobre mim do que seria suposto.
Confesso que a escrita revela mais das pessoas do que é imaginável.
Sintam-se à vontade para falarem sobre vós.
Fico curiosa!
Depois avisem!

1 - Demorei mais de um mês a aprender a andar de bicicleta. Era uma criança e aprendi com uma vizinha 2 anos mais velha. Em troca dela me segurar e correr atrás de mim deixava-a dar 'x' voltas préviamente combinadas. Convém dizer que a minha bicicleta foi comprada em 2º mão e partilhada com o meu irmão.
A minha vizinha nem tinha bicicleta. Os pais não podiam comprar, nem usada. O pai dela tinha uma que usava para se deslocar para o trabalho.
Tenho de acrescentar que já tinha 7/8 anos e pedia o 'brinquedo' desde que me lembre. Foi uma 'prenda' muito especial.
Relativizando a questão e em comparação concluo: em poucos anos a aspeto material da vida tem ganho demasiada importância e não andamos a educar bem as crianças.
Talvez a crise seja benéfica (é claro que não refiro os ataques de pânico que sofro na atual conjetura), afinal tive uma infância super-mega-feliz com tão pouco. em termos de brinquedos e tralhas materiais.
 Tinha tempo, amigos, afeto, atenção, brincadeiras de rua...

2 - Não recuperei da perda do meu pai. Já lá vão quase 8 anos. Não consigo aceitar a sua morte, a ausência. Choro sempre que me recordo da voz calma dele (inundo o teclado, claro), dos conselhos sensatos, da paz que transmitia apesar dele nem sempre a sentir. Punha sempre os outros como prioridade.  
Apenas dele senti o tal do Amor Incondicional que é tão procurado. Acolhia-me tal como sou e ainda me sensibiliza a imensidão do seu Amor nos ossos, na pele, sempre que me visita em recordações.

3 - Corto o cabelo a quem me pede. Não sou cabeleireira nem nunca trabalhei na área. Desde pequena que gosto de pentear, de mexer nas cabeças. Comecei por cortar o cabelo da mana mais nova. Só foi à cabeleireira a 1º vez com dezasseis anos. Tornei-me observadora e com as cobaias (mais ou menos voluntárias) tenho aprendido, dado umas tesouradas, mas continuo nesta 'profissão' frustada. Enquanto houver voluntários a minha tesoura está sempre pronta.

4 - Tinha pavor de estar sózinha. Quer dizer, pavor é pouco, era horror, medo a sério. Se era, mesmo, obrigada a ficar sózinha dormia de luzes acesas, sobressaltada e era capaz de fazer centenas de km para ficar acompanhada, se pudesse.
Com as voltas da vida até pela casa mergulhada na escuridão já me passeio.
Nós mudamos, a mudança é a única constante da vida, acreditem.

5 - Choro a ver filmes. Coisa normal para tantos que me compreenderão. No último filme que visionei, sobre a família de férias na Tailândia e vítima do tsunami, agora não me recordo do nome da película, as lágrimas visitaram-me muitas vezes.
Tenho de disfarçar porque já não têm paciência para as minhas mariquices.

6 -  Caí de um elétrico a parar. Nunca percebi aquela mecânica de sair de um veículo em movimento. O elétrico estava a chegar à paragem, armei-me em esperta. Afinal já tinha visto tantas crianças a entrarem e sairem deste meio de transporte no meio da viagem. Sabia que as pernas tinham de se mexer. Pois! Caí redonda.
Com as pessoas a olharem, fiquei atordoada, envergonhada e jurei para nunca mais.
O elétrico continua a ser o meu transporte público preferido, embora em desuso.

 7 - Já matei um pombo com uma espingarda de chumbos e um coelho ao murro (ou quase).  Como já perceberam cresci em ambiente campestre, em vila do interior. Vivia muito na rua e em contato com a natureza. A família tinha horta, animais, praticava-se a agricultura e espaço não faltava.
A espingarda era um dos divertimentos dos rapazes. Quando me deixaram tocar na arma, provei, à primeira, que tinha pontaria. Acertei no pombo e os rapazes presentes ficaram cheios de inveja porque era melhor que eles. Ainda me recordo da sensação: -YA! As mulheres são boas!!!
Quanto ao coelho, foi menos agradável, apesar de incluir também a morte. Estava em família a matar animais para consumo, entre eles uns coelhinhos lindos. Ao ver a avó a aniquilar os bichos com um valente murro, pedi para tentar. Cortar pescoços a aves nunca me atrevi.
Pois bem, a força não é o meu forte. E esmurrei uma, duas, ... e o coelho contorcia-se. Comecei a ficar nervosa. Valeu-me o pai que acabou com a vida do torturado.

Com tudo isto acabei por recordar episódios que me emocionam. Somos mais do que o passado, mas ele indicia e conduz-nos ao presente.
Temos liberdade e opções várias.
É sempre possível alterar rotas.
As mudanças na personalidade, nos comportamentos são inevitáveis.
Porém, gosto de pensar que vivemos, existimos, somos o 'eu' em cada instante, em cada experiência passada.

(Só espero não vos ter aborrecido de morte.)

26 comentários:

JP disse...

Pérola,
Tu és danada....um pombo a tiro e um coelho ao murro?

Livra, se estiver perto de ti vou ter cuidado:))))

Mas gostei do que li.

Beijinhos
(Talentoso blogger?:)

Jovem $0nhador@ disse...

Gostei de ser esses pormenores de ti =)

anokas disse...

Eu gostei de saber esta coisas sobre ti e são estes pequenos episódios que fazem de nós quem somos :)

Vera, a Loira disse...

Confesso que essa falta que sentes do teu pai me emociona e muito, o meu é a pessoa mais importante da minha vida, tenho-o hospitalizado desde 12 de Janeiro, a recuperar, mas o medo é muito e penso que não saberei nunca superar a ausência dele, peço todos os dias que os santinhos lhe protejam a saúde.

Cláudia disse...

Claro que são coisas marcantes, mas gostei que tivesses besabafado.

Essa do coelho não perdoo. =P
Eles são para fazer festinhas lol

Beijocas

Francisco disse...

Já ficámos a saber um pouco acerca de ti :)

Adorei a musica :)

beijinhos

AC disse...

És um doce. Gostei de saber mais coisas sobre ti:)

Beijinho*

Lilá(s) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lilá(s) disse...

Gostei bastante de ler esses pormenores de ti mas, sinceramente fiquei toda arrepiada com essa cena de matar o coelho! hoje em dia tenho um pequeno quintal onde adoraria ter um galinheiro com 3 galinhas mas, já sei que seria uma cena terrível na hora em que fosse necessário matar as ditas...eu não iria deixar...e o marido diz que não alinha nas minhas "mariquices"...por isso opto por não as ter...
Não te admires por não recuperares da morte do teu pai, eu do meu recuperei, agora da minha mãe, nem pensar! e já lá vão 16 anos!
Bjs

edumanes disse...

Ya! As Mulheres são boas!!!
Simpáticas e belas
Bem o passado aqui apregoas!
Também armavas as esparrelas?

Mataste o pombo com um tiro
E um coelho ao murro
Brincaste no campo colorido
Andaste de bicicleta, não de burro!

De um eléctrico caíste
Armada em salteadora
Envergonhada não te riste
Menina dos pombos caçadora!

Tua história adirei
Aquela do coelho está boa
Só é pena, pensei
Naquele que faz coisas à tão!

Boa noite para ti,
amiga Pérola, bons sonhos,
um beijinho
Eduardo.

manuela barroso disse...

A Pérola aqui está retratada com a sensibilidade que lhe é peculiar.
Ternurenta, preocupada, nostálgica.
E um coração lindo e enorme.
E essa do Pai...
também aqui cai!
És uma querida, minha amiga
Bjis.
Mitos

BRISA disse...

OI FLOR BOA NOITE
NÃO PENSE QUE TE ABANDONEI EU ESTAVA VIAJANDO. AQUI DE VOLTA. ADOREI SABER UM POUCO DE SUA INFÂNCIA.BONS MOMENTOS.PROMETE QUE VC NÃO VAI RI RSRSRSRS MAIS EU NÃO SEI ANDAR DE BICICLETA. MEUS PAIS ERAM POBRES.MEU ÚNICO BRINQUEDO ERA UM BALANÇO.ERA BEM GOSTOSO.UM BEIJINHO FICA NA PAZ. UM BJ
ANA

António disse...

É sempre bom conhecer mais um pouquinho dos nossos amigos.

Bjs!

dreams disse...

O que é que eu te posso dizer??? Só que vale sempre a pena ler-te e recordar através dos teus post qualquer coisa das nossas vidas, adoro, adoro , adoro!!!Beijinhos grandes e abracinho bem apertado carregadinho de forças motivadoras e potenciadoras de alegrias!!!

Valsita disse...

E sempre tao bom ficar a conhecer-te um pouco melhor...

Opinante disse...

Adorei conhecer um pouco mais de ti Pérola :D

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Olá Perola,como é bom falarmos um pouco de nós!Dessa forma conhecemos melhor nossos amigos e você deveria ser uma menina muito arteira,como todas as crianças saúdaveis as são.Eu também fiz muitas artes na minha infância,aprendi logo cedo a nadar e quando passavámos férias na praia,gostava de me aventurar,nadando até o o barco mais próximo ancorado.Hoje,jamais faria isso.Acho que por esse motivo,meus textos e poemas,sempre são relacionados com as águas do mar!
Bjs
Carmen Lúcia-mamymilu.blogspot.com

Arco Iris disse...

Identifico-me nalgumas coisas...
é engraçado recordarmos a infância.
Sempre quis imitar a minha avó a matar coelhos e galinhas, mas limitei-me a ver e comer.
Bjs

lena disse...

Olá Pérola.
As vezes faz bem recordar a infância e lembrar as coisas boas. A minha primeira bicicleta também foi em segunda mão e tinha 7 anos. Sou uma chorona quando vejo certos filmes. Até choro nos casamentos dos amigos de tão emocionada... Enfim acho que ser sensível é muito positivo. Gostei muito de conhecer mais um pouco de si.
Beijinhos grandes.

Mona Lisa disse...

Adorei ler a tua "sensibilidade"... és feita dela!

Esta tua frase ficou-me...

... a mudança é a única constante da vida.

A minha tem sido feita de tantas!!!

beijinhos.

rosinha cruz disse...

Olá Perola
Gostei de conhecer um pouco sobre ti.
Também nasci, cresci e vivo no campo, a minha primeira e unica bicicleta tive-a aos 7/8 anos, o meu pai também era muito importante para mim, perdi-o com 13 anos e a dor foi imensa, não passa mas vai atenuando com o decorrer dos anos.
Não sei se recebeste a resposta ao email que me enviaste e que desde já agradeço muito.
Tudo de bom e bom fim de semana
Beijinhos

aflores disse...

Quando reparei que trataste do coelho a murro, comecei logo a imaginar "coisas" :)))))... outros coelhos!

Acho que vou aceitar o desafio... sem dar murros a coelho(s)

Tudo de bom.

estrela disse...

Bom, para quem se chama pérola e gosta de poemas matar um coelho ao murro!!!
Gostei muito deste bocadinho que nos apresentaste...achei bonito!

Jovita Capitão disse...

A escrita é a nossa alma e se formos sinceros naquilo que escrevemos mais valor tem.As memórias de infância são sempre as mais fortes que se prolongam por toda a vida. Gostei de ler! :)

Jovita Capitão.

http://rainhadasinsonias.blogspot.pt/

J. disse...

adorei ler um pouco mais sobre ti.
quanto a sabermos muito, eu acho que na blogosfera é mesmo assim, acabamos por ser tão transparentes que contamos sempre um pouco mais de nós :)

✿ chica disse...

Pérola, ri muito aqui contigo! Adorei saber de ti e das tuas...beijos,chica