segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Quantas vezes . . .




Quantas vezes . . . a olhar o mar,
quando  as marés se sucedem,
deixo a saudade ir-se na espuma.

Quantas vezes . . . de noite,
quando o sono se vai,
adormeço em pensamentos despertos.

Quantas vezes . . . na sombra,
quando a luz se esconde,
enrolo-me em mim.

Quantas vezes . . . na ternura,
quando o calor do amor se acende,
invadem-me arrepios de prazer.

Quantas vezes . . . com desamores,
quando a melancolia se agiganta,
reduzo-me em poeiras carentes..

Quantas vezes . . .no desvario,
quando sou mais do que eu,
pairo em nuvens chorosas.

Quantas vezes . . .  no limite,
quando as fronteiras perdem as suas linhas,
transformo-me em apátrida sem tempo.

Quantas vezes . . . no imprevisto,
quando as surpresas me aprisionam,
sorrio nas mudanças desassossegadas.

Quantas vezes . . . nas palavras,
quando os sinónimos desconhecem dicionários,
perco-me em anárquicos versos.

Quantas vezes . . . na tentação,
quando o desejo me visita,
digo-lhe que sim.

Pérola

41 comentários:

Fernanda Bender disse...

Só tenho a dizer: belo poema, gostoso de ler.
Tenha um bom dia :-)

JP disse...

Nuvens chorosas, o vento em reboliço e o desejo por companhia.

Beijinhos

maria teresa disse...

Quantas vezes precisarei de dizer que adorei este poema?
Abracinho meu!

Cidália Ferreira disse...

Ui quantas vezes......Excelente!! Maravilhoso de se ler, Parabéns

Beijinho e uma óptima semana
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Marta Vinhais disse...

E sonhamos, desejamos e sentimos...
Amor, desamor, paixões intensas e desejos irresistíveis....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Maria disse...

E quantas vezes aqui vier quantas vezes te admirarei mais...gostei muito!
Maria

Maria disse...

E quantas vezes aqui vier quantas vezes te admirarei mais...gostei muito!
Maria

Maria disse...

E quantas vezes aqui vier quantas vezes te admirarei mais...gostei muito!
Maria

Maria disse...

E quantas vezes aqui vier quantas vezes te admirarei mais...gostei muito!
Maria

Maria disse...

E quantas vezes aqui vier quantas vezes te admirarei mais...gostei muito!
Maria

Maria disse...

E quantas vezes aqui vier quantas vezes te admirarei mais...gostei muito!
Maria

Maria disse...

E quantas vezes aqui vier quantas vezes te admirarei mais...gostei muito!
Maria

Bell disse...

Gostei =)

Dorli disse...

Oi Pérola
Adorei o poema
Beijos
Lua Singular

Laura Santos disse...

Temos em nós todas as marés, temos a ordem e a anarquia. Quando o desejo nos invade, devemos sempre dizer sim
Belo poema.
xx

Arco-Íris de Frida disse...

Muitas e muitas vezes...

Beijos...

São disse...

Não são quantas , mas muitas as vezes que fico admirando muito a maneira como escreve!

Abraço grato .

Francisco disse...

Adorei

Beijinhos

Daniel Andre disse...

Boa noite amiga Pérola !
Somos como as marés. As vezes mansa, as vezes agressiva, mas em todas as vezes, a maré.

Quantas as vezes, vim aqui saborear seus versos, e sai com um leve sorriso de alegria no rosto?

Você é ótima,
Parabéns mais uma vez viu ?
Bjs,
Dan
http://gagopoetico.blogspot.com.br/

Mona Lisa disse...

Quantas vezes terei que dizer que és uma grande e sensível poetisa!

Adorei o poema!

Beijinhos.

emanuel moura disse...

Quantas vezes na imensidão do silencio encontramos o nosso verdadeiro ser no mais profundo da nossa alma ,sempre tao graciosa nas palavras querida amiga ,muitos beijinhos Perola

Magda Carvalho disse...

Gostei tanto do primeiro verso ;)
Beijinhos

Cláudia disse...

Muito giro. Gostei bastante da escrita.

Beijocas

PinUp Me disse...

Bom inicio de semana :)***

Claudinha ੴ disse...

Olá Pérola!
Que lindo poema!
Muito amor e no final, o desejo vence!
Obrigada pela sua presença no TP! Um beijo!

dreams disse...

Quantas vezes.... beijo doce minha Pérola, boa semninha!!!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Maravilhoso poema. Gostei mesmo
muito. Desejo que esteja bem.
Bj.
Irene Alves

Maria Alice Cerqueira disse...

Bom dia Perola
Belo poema!
uma linda semana para voce
abraço amigo
Maria Alice

Elisabete disse...

Gostei muito deste poema anafórico.
Bjs

Crocheteando...momentos! disse...

Quantas vezes...ao passar por aqui...levo uma lufada de inspiração! Gostei! Bjs

aflores disse...

Serão sempre poucas as vezes, as palavras, para dizer realmente que tu és não uma, não duas, mas... muitas Pérolas!


;)

(inspirado hoje)

Tudo de bom.

Beatriz Bragança disse...

Querida Perola
Quantas vezes eu vier aqui, sempre me surpreendera(futuro)!
Que poema tao belo!
Muitos parabens.
Beijinho
Beatriz

Ana Sofia disse...

...gostei tanto, revi-me em cada palavra...parabéns ;)

la joie de vivre! disse...

mais uma vez, um poema lindíssimo! :)

está a decorrer um sorteio no meu bolg, se puderes passa lá! :) beijoca

La Joie de Vivre!

Moro em um Kinder Ovo disse...

Esta joalheria está cada vez mais rica. Obrigado pela visita.

SANTA CRUZ disse...

Perola Lindo poema adorei lindissimo mesmo.
Beijos
Santa Cruz

Diana Fonseca disse...

E que tudo isso se vá embora.

maria madeira disse...

Vim cá dar um salto para ler mais um poema e virei quantas vezes forem necessárias. Tranquilo, para um final de tarde quase a ser noite.

:)

Daniela Marinho disse...

Gostei bastante do teu comentário :)
Ohh, escreves tão, mas tão bem!

José Carlos Sant Anna disse...

Para que contar, deixe-se ficar para que o Tu possa enlaçar a tua mão, e quantas vezes o permitas, e o que mais permitas enlaçar.
bj, Pérola!

Ana Tapadas disse...

Quantas vezes...nos acalenta ler um poema assim!

bjs