sábado, 13 de dezembro de 2014

Sem saber (ser-me)


"A melhor maneira de fugir é ficar parado...deixar de ter dimensão, 
converter-se em areia no deserto. 
Desaparecer para fazer o outro se extinguir."
Mia Couto
No livro "O Outro Pé da Sereia"


Na nudez de me ser,
deixo os afagos da Lua
me vestirem,
tornar-me pálido raio da sua luz.

Tem vezes que
sou o rasgo de silêncio
após o trovão,
um pequeno nada
em momento perfeito.

Sem querer,
solto a geada derretida,
da minha agonia,
como rio de dores
por entre as margens do rosto,
lago desaguando
no delta do meu pescoço.

No convite do Sol,
consumo-me no calor 
daquele instante,
onde me abandono ao êxtase.

Não me sei!

Anjo ou demónio,
no limbo de mim,
buscando o outro,
a esperança fugidia,
em demanda inquieta,
adivinhando-me
 em totalidade fugaz.



34 comentários:

✿ chica disse...

Linda, cheia de questionamentos profundos! bjs, tudo de bom,chica

aflores disse...

Mas fiquei eu a saber, aliás, já sabia, que escreves muito bem.
Eu sinto isso :) e daqui não vou fugir.

Tudo de bom.

[já mandei mail...claro que não sou um robot]

:))))))))))))))

São disse...

Mais um bom poema e que escelente escolha a de Mia Couto.

Tudo de bom :)

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Gostei.

Um beijo

Beatriz Bragança disse...

Minha querida
gostei muito da citação de Mia Couto.
Sempre a viver uma grande inquietude, que é expressa deforma maravilhosamente poética1
Bom domingo.
Um beijinho
Beatriz

Edumanes disse...

Cada um é livre de pensar!
porque eu não penso assim
a flor não posso abandonar
ficarei com ela no jardim.

Um beijo para ti,
Pérola vou enviar
não fujas, fica aí
com quem te agradar!

Mar Arável disse...

Boa memória

Andreia Morais disse...

Às vezes somos assim, quase sem querer, tudo aquilo que há para sermos.
Adorei!

XicoAlmeida disse...

Gostei e por tal, para si deixo...

Ilusão Perdida

Florida ilusão que em mim deixaste
a lentidão duma inquietude
vibrando em meu sentir tu juntaste
todos os sonhos da minha juventude.

Depois dum amargor tu afastaste-te,
e a princípio não percebi. Tu partiras
tal como chegaste uma tarde
para alentar meu coração mergulhado

na profundidade dum desencanto.
Depois perfumaste-te com meu pranto,
fiz-te doçura do meu coração,

agora tens aridez de nó,
um novo desencanto, árvore nua
que amanhã se tornará germinação.
Fernando Pessoa

Laura Santos disse...

Um poema simplesmente maravilhoso! E a imagem também.
xx

Maria Silva disse...

Gosto de ler-te. Venho sempre por aqui e quedo-me encantada. Porém, às vezes desencantada...porque dói.
Beijo.

Agostinho disse...

Quem sabe se parando
finto o anjo e o demonio
que há em mim.

Pedro Coimbra disse...

A viver uma fase de indecisão/indefinição??
Boa semana

Arco-Íris de Frida disse...

Poucos sabem de si... o poema é perfeito...

Beijos...

Crocheteando...momentos! disse...

Uma excelente escolha!
Bj amigo

Elisabete disse...

Gostei de ler!
Excelente semana

Guaraciaba Perides disse...

Lindo poema de busca do ser em ser através dos elementos na procura da própria essência.
Um abraço

Bergilde disse...

Leitura que estimula uma profunda reflexão trazendo à tona sentimentos inquietantes do âmago do ser humano.Bom dia!

Juliana Rosa disse...

Mais uma pérola que alimenta nossa alma.

Mirtes Stolze. disse...

Bom dia Perola.
Um lindo poema, as vezes fica tão dificil que temos que parar e reconhecer que precisamos para um pouco para colocar as ideias em ordem no nosso intimo.
Vim lhe desejar que nesta semana a se abrir feito as flores na primavera, desejo-lhe as melhores coisas desta vida e que os anjos de Deus estejam ao teu lado! Uma semana abençoada!
Beijos.

Arco-Iris disse...

È sempre tão bom ler os teus poemas...
Beijinhos

Graça Pires disse...

Todos temos um pouco de anjos e de demónios... Gostei do poema e da citação de Mia Couto.
Um beijo e Bom Natal.

Poesia do Bem disse...

Como eu amo te ler e me reler em teus versos. Bjs e daqui de nossas férias em GO trazemos novidades, depois ver no blog

Cláudia disse...

Bonito poema!

Beijocas

José Carlos Sant Anna disse...

Sem saber (ser-me): A confissão é reconhecimento do quanto o eu sabe de si mesmo. Não é à toa que se segue após o título uma enumeração imagética desse núcleo ideativo em que reitera suas carências e a fuga para afastar a presença do outro que provoca tanta inquietação. Belo poema, Pérola!
Beijos,

emanuel moura disse...

Sempre maravilhosa querida amiga Perola ,muitos beijinhos e uma feliz semana cheia de felicidade.

Nana disse...

É sempre difícil responder a pergunta "quem é você?".
Bj e fk c Deus.
Nana
http://procurandoamigosvirtuais.blogpost.com.br

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, a partilha é magnifica acompanhada pelo belo poema, fala no momento perfeito depois do trovão, assim sendo, penso que para tudo há um tempo, para cada coisa um momento perfeito.
AG

7802 é um lindo numero, concorda?

Sónia TM disse...

U-A-U


tarasemanias.pt

Pretty in Pink disse...

Já tinha saudades de ler estas coisas bonitas :)

Beijinho*

Ariana Coimbra disse...

Belo poema pra enfeitar a semana!
Bem envolvente pérola!

Beijo

Labirinto de Emoções disse...

Olá Perola

Todos nós temos um anjo e um demónio dentro de nós...e damos aos outros aquilo que merecem receber em cada momento..:-)))
Um beijinho grande já com sabor natalício.
Teresa

EU disse...

Nos contrastes é que somos... E ainda bem!
Muito bom, amiga!
Bjo :)

Lourdinha Vilela disse...

Belíssimo poema. sensível e profundo
enquanto busca a própria essência.
bjs.