domingo, 16 de setembro de 2012

Há uma linha...



Há uma linha que separa as nossas limitações dos limites convencionados.
É ponto assente a nossa limitação, a falta de liberdade, a tantos níveis.
Diria mais, presente em tudo que nos toca.
Por um lado, e pondo de parte os limites físicos e mentais a que não podemos escapar, temos as restrições auto infligidas.
Mesmo sem consciência, obedecemos ao que assumimos como verdadeiro ou correcto.
Educação, responsabilidade, moralidade, pudores vários conduzem-nos à mutilação do livre exercício de atitudes e comportamentos desejáveis, possiveis, mas auto censurados.

Limitamo-nos!

Por outro lado, principios extrínsecos, socialmente aceites, expurgam-nos ainda mais da nossa débil autonomia.
Nascemos em sociedade e aprendemos, sob pena de castigos vários, até de 'tortura social', o recomendável e expectável enquanto membros cidadãos.

Limitam-nos!

Com linha ou na falta dela, a questão é que enredamo-nos em restrições castradoras.

Por vezes, ponho-me a pensar como seria uma vida isenta destas fronteiras.
Nunca o conseguirei imaginar porque já estou 'formatada' e esta constatação não me agrada.
Mesmo Nadinha!



12 comentários:

Jessy disse...

Mesmo
Bjs e bom fim de semana :)

Cristian Lisandru disse...

Educação, responsabilidade, moralidade, modéstia, são indispensáveis. Um belo domingo! Tudo de bom!

Maria D Roque disse...

"Ultrapassar os limites não é um erro menor do que ficar aquém deles." - Confúcio

As linhas cortam-se e as formatações apagam-se, é só preciso querer. Xi-♥

Francisco disse...

Pois! Estamos todos formatados

Bjs

manuela barroso disse...

Linhas limitativas impostas e que deixamos que nos imponham. Mas não são só as barreiras com que estamos formatados/as. São as barreiras com que formatam o homem e a mulher.
Enquanto que as outras são comuns (ou deviam sê-lo), estas são descriminatórias!
"Pano para mangas"
Belíssima reflexão Pérola!
Parabéns
muitos bjis

Flor Guerreira disse...

Detesto linhas que separam o que quer que seja!

დ R*M ಌ disse...

Pois eu tambem acho que ando..

Espero que sim, que tenhas razao.
Sem stress acho que e impossivel :p

C. disse...

Como te compreendo, enfim..

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Gostei da reflexão...

The Princess Without Heart disse...

Sim tens razão, mas não me referi á escola em questão de aprender (:

Tétisq disse...

Algumas linhas têm uma função protectora, são elas que ao limitar a liberdade do outro permitem que nós usemos a nossa. A própria liberdade tem que ser limitada para não se tornar outra coisa.*

aNaMartins disse...

já é tão intrínseca que não nos conseguimos libertar. também não me agrada, mas é assim que temos de viver em sociedade, limitados

:D