segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

100 história ( s ) . . .


O passo apressado denunciava ansiedade. A escuridão pedia-lhe cautela, coisa imprestável neste momento.
Cair, tropeçar, nagoar-se fisicamente não era nada, comparado com os sentimentos que a torturavam.
Um sentido desconhecido guiava-a por onde onde os olhos não a podiam ajudar.
Necessitava, com urgência, de chegar ao destino. Determinada o receio não tinha lugar na sua companhia.
Avançando sem dar conta, vislumbrou o local combinado.
O banco da alameda já estava ocupado. Não a surpreendia. Sabia da pontualidade que lhe era característica. Ele gostava de se adiantar. Previdente, racional, metódico e prático demais para o seu gosto.
Afinal tinham sido estas peculiaridades que os tinham conduzido até ali.
Abrandou o passo. Ajeitou o cabelo. Retocou o 'gloss' por instinto. Inspirou e vestiu-se de si própria. Feminina, confiante.
Desta vez estava decidida. Ou a conversa a satisfaria ou o rumo seria outro, na certa.
Fartíssima de parcas palavras, de racionalidade comprovada, apenas queria letras juntas com o afeto como cúmplice.
Desejava emoção e bem explicada.
Ânsias de diálogo sem pontuação, conversa de olhos, enfim a dissecação daquela relação tinha de ser feita.
Precisava do detalhe, dos pequenos 'nada'. Enfim, de todas as 'inutilidades' como ele lhe chamava.
Continuar a viver da forma como ele queria estava fora de questão.
Necessitava de  esclarecimentos como do ar que lhe custava a tragar.
Naquele momento, o som da sua passada virou-lhe a cabeça.
Olhou-a, cumprimentando-a, e sorriu...

14 comentários:

Secreta disse...

Por vezes temos de dar um novo rumo, à nossa história.
Beijito.

Opinante disse...

Mais um post fantástico!!

Jovem $0nhador@ disse...

Gostei do texto =)

Arco Iris disse...

Pérola a sensação que tive foi a que estava a ler um livro.
Muito bom...oxalá que seja para continuar.
Beijinhos

edumanes disse...

Nessa história
Do passo apressado
Guardada na memória
Lembranças do passado!

Que boas tenham sido
Do passado longe ou perto
De nada se tenha esquecido
Quando atravessou o deserto?

O deserto da felicidade
Do amor, e da alegria
A pressa ser sua vontade
Para você, continuação de bom dia!

Beijinho
Eduardo.

lena disse...

O texto está muito bem escrito e gostava de saber o resto da história...
Beijinhos grandes.

manuela barroso disse...

e continuo com o meu gosto enorme de ler-te nas narrativas que constróis. Fiquei com fome de mais!
Bjis Pérola

manuela barroso disse...

e continuo com o meu gosto enorme de ler-te nas narrativas que constróis. Fiquei com fome de mais!
Bjis Pérola

✿ chica disse...

Maravilhoso e fiquei com gosto de quero mais!rs beijos,chica

Azul do Mar disse...

Escreves muito bem, mesmo! Parabéns :)

Mona Lisa disse...

As mudanças fazem parte da vida...

O comodismo adia-as!

Beijos.

anokas disse...

Há altura em que temos de pôr os pontos nos is e o caminha apressado só mostra a nossa determinação :)

Vera, a Loira disse...

Gostei muito do texto.

Tio do Algarve disse...

É tão bom descobrir coisas novas...