terça-feira, 29 de janeiro de 2013

A Frontalidade

Palavra por demais ouvida na atualidade: a Frontalidade.

Eis que me deparo a tentar perceber significados que me sejam desconhecidos.
Porque sendo as palavras entidades vivas, estão sempre em constante mudança e evolução.

Pois bem, a pesquisa não me levou longe.

Fiquei pelo que já sabia: diz respeito a quem é frontal que por sua vez está relacionado com a 'frente', a fachada, enfim algo que será onde ocorrerá o primeiro 'embate'.
Para além disso também pode significar franqueza e sinceridade.


Cada um de nós tem visão única da realidade, de cada sentimento e a opinião formada ou julgamento de valor que efectuará estará sempre condicionado às limitações e capacidades do próprio 'eu' individual.
Posto isto, pode-se dizer que a única regra é não as existirem.
Opina-se com maior ou menor assertividade, baseado ou não em argumentos.
Contudo, neste mar de pessoas que reclamam a frontalidade como se do Santo Graal se tratasse, questiono:

E se o que afirmam nada tiver a ver com o que o outro 'pensa'?
E se estiverem errados?
E se falaram sem lhes ter sido pedido opinião?
Esta tal franqueza pode tudo permitir?

Em nome da 'Frontalidade' adquire-se o direito de emitir opiniões, pareceres (sempre subjectivos)?

Ainda não tendo sido  descoberta a VERDADE, a relatividade continua a reinar.
E parece-me que tanta gente se esquece ... basta ver o autoritarismo com que se diz: "EU SOU FRONTAL!"

Afinal que querem dizer? Ainda não percebi...

Ou sou eu que ando tão distraida e ainda não reparei que seres perfeitos desceram à Terra?

À primeira vista a franqueza e sinceridade parecem sinónimos tão simples de entender.
Porém, não mo são.
Porque, tal como em muitas outras coisas, não bastam.
Ficando-se no monólogo, a frontalidade é mera expressão de sentir restrito ... que deveria frutificar no diálogo.
Conversa improvável quando a mente se povoa de certezas inabaláveis.

11 comentários:

edumanes disse...

Nessa tua frontalidade
Do progresso e evolução
Que tenhas a felicidade
Guardada no teu coração!

Tuas palavras lindas são
Lindos poemas escreves
Iluminadas de emoção
Dos amores que não esqueces!

Mais não vou escrever
Com a verdade a reinar
Estou aqui para te ver
E não para te magoar!

Um abraço para ti
Com um beijo te enviar
A pensar fico aqui
Para Pérola um bom dia desejar!

Eduardo.

Sentada na ponta da lua disse...

Não vou divagar muito... mas eu peco pela dita frontalidade... muitas vezes irreflectida, sem olhar com atenção o outro... e a custa disso "já bati muitas vezes com a cabeça na parede"!
Bjinho

O Blog da S. disse...

Frontalidade... Pode ser boa ou má. Há alturas em que mais vale calar e não emitir opiniões. Há outras em que a frontalidade é necessária.
Tudo depende do nosso bom senso, na minha opinião.

Bjs.

Arco Iris disse...

Não sei se é defeito ou feitio, mas não sou capaz de ser frontal , ou seja, debater-me com a frontalidade.
Talvez uma insegurança minha.
Bjs :((

Opinante disse...

Às vezes as pessoas esquecem-se que frontalidade não é faltar ao respeito...

estrela disse...

às vezes a frontalidade leva-nos a ficar sozinhos porque as pessoas não aceitam essa frontalidade, gostam mais de o fazer do que o ouvir e então quando alguém é frontal....as coisas não resultam e aprendemos que temos que mudar de táctica e falar apenas o essencial sem nunca dizermos o que realmente queremos pois a frontalidade não é bem aceite por alguns!

JP disse...

A frontalidade, que todos apreciamos, mas nem todos gostamos. Os papéis invertem-se quando a usamos ou quando a ouvimos.

Mas prefiro-a sempre.

Beijinho

Francisco disse...

É bom ser frontal, mas na realidade o copo está meio cheio ou meio vazio?!


Beijinhos Grandes

Kapikua disse...

gostei do teu post.
Também já me interroguei sobre esse assunto, dá-me a sensação que muita gente que se tem como "frontal e directa" mais não é que inconveniente e despropositada.
isto digo eu, que sou frontal e directo! :)

beijo

Bárbara M. disse...

obrigada linda :)

J. disse...

E eu acho que tens razão, mas as pessoas as vezes confundem a frontalidade com dizerem aquilo que pensam e sentem sem pensar que existe sempre um outro lado.