quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

ensaio para S


Engarrafei aquele amor de outrora,
os beijos roubados
e outros tantos por dar.

Foram oceanos de ti,
trazidos em marés sem gaivotas,
de horizontes rasgados
com lâminas de inocência.

Guardei-te em lágrimas
salgadas como
embargos enfrascados
nas inquietações
do meu (nosso) querer.

Selei o teu corpo no meu,
a humidade da tua pele na minha boca
em eternidade fechada a sete chaves
de acesso restrito.

Fui flor colhida,
seiva derramada no viço
desse amor de outrora.

Tapei ousadias,
atrevimentos e partes de mim,
restando-me no todo
sem ti.


9 comentários:

Cláudia disse...

Belo!

Beijocas

Francisco disse...

Adorei

Bjs

Cidália Ferreira disse...

Mais uma das tuas mais preciosas pérolas! Adorei.

Beijinhos

sérgio figueiredo disse...

Wowwww, Margarida.. Atreves-te a deixar-me sem palavras para comentar TANTO que aqui expressas na mais bela forma de sentires..
Poesia que a tua alma canta!! Obrigado pela deliciosa partilha!!!
bj...nho

emanuel moura disse...

Fantástico querida amiga, um lindíssimo poema ,beijinhos no coração muitas felicidades

Poesia do Bem disse...

Mais um de tantos poemas lindos que leio aqui. Lancei meu livro vem ver

Maria do Mundo disse...

Margarida, é sempre tido tão fantástico. Parabéns!

Elvira Carvalho disse...

Mais um belíssimo poema, amiga.
Um abraço

Pedro Coimbra disse...

Saudades de um amor perdido?
Bjs, bfds