quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

proibido



Não quero ter juízo,
razão
ou tino.

Permito-me ceder
ao corpo,
animal que mora em mim,
como instinto fatal.

Tento-me 
em pensamentos,
desvarios
e sonhos alucinados.

Livre de racionalidades
sombrias,
busca a luz
da tentação
simples dos meus sentidos,
pele e sangue na ferida
do sempre proibido.


5 comentários:

Cláudia disse...

Adoro, adoro!
Com estes assim identifico-me mais =)

Beijocas

Cidália Ferreira disse...

Fantástico! :)

Beijinhos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

emanuel moura disse...

Maravilhoso momento querida amiga, muitos beijinhos felicidades

Os olhares da Gracinha! disse...

Tento resistir à "tentação'!
Gosto da sua escolha de hoje...bj

Pedro Coimbra disse...

Uma tentação ou outra não faz mal a ninguém.
Bfds