terça-feira, 24 de janeiro de 2017

sou-me



Sou-me em outras eras,
outras histórias,
outras vidas,
sonhos e desejos
escritos em miragens,
ilusões,
sombras 
do que quero.

Escrevo-me em pergaminhos.
 desbotados,
com letras confundidas,
nas palavras trocadas
de tempos sem vida,
em dores mal apagadas.

Sou-me na escrita triste
de verso sem rima,
poema por escrever,
angústia na inquietação
de me alinhavar 
em rascunhos carentes
de tinta,
de caneta,
de mim.

10 comentários:

emanuel moura disse...

Simplesmente belíssimo querida amiga apesar da tristeza sobra toda a riqueza das palavras escritas ,beijinhos no coração felicidades

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso poema! Parabéns

Beijinhos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Bell disse...

Lindo e profundo!!

bjokas =)

Observador disse...

A excelência de uma escrita simples.
Gostei!

Olivia disse...

E que bom é sermo-nos em tantas coisas diferentes e belas. Gostei!

Elvira Carvalho disse...

Gosto.
Abraço

ReltiH disse...

TRISTEZA MUY BIEN ESCRITA.
ABRAZOS

Ana Tapadas disse...

Ando por aqui a ler coisas antigas tuas...e gosto muito!
Beijinho

Maria Rodrigues disse...

Maravilhoso poema.
Beijinhos
Maria

Pedro Coimbra disse...

A saudade na ponta dos dedos e passada para o teclado.