quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

realidade sem poesia


foto by Pérola

vivi sem filhos,
só era filha.
vivi sem telemóvel,
escrevia cartas.
vivi sem Net,
percorria a enciclopédia.
vivi sem mãe,
e ainda aqui estou.
vivi sem pai, 
porto de abrigo
ou amor incondicional
e não morri.
vivi de solidão,
refugiava-me em mim.
vivi acampada,
fui feliz.

Já vivi com tantos 'sem'
que a memória se esqueceu.
Foi-me realidade sem poesia,
a meus olhos,
no meu sentir.

Basta-me!
Transbordei-me de ausências.

Quero os 'com'
mesmo que vazios,
disponíveis para preencher
ou deixar dessa forma.

Quero ser a minha realidade,
eu, 
tão só!



6 comentários:

Chic' Ana disse...

Muito bonito!
Beijinhos

Cláudia disse...

Adoro! Muito forte.
Identifiquei-me com alguns versos.

Beijocas

emanuel moura disse...

Tão só mas ao mesmo tempo tão feliz ,maravilhoso sentir beijinhos muitas felicidades querida amiga

Cidália Ferreira disse...

E assim se desabafa em poesia. Amei

Beijo

jair machado rodrigues disse...

Querida Pérola, tem-se um sensação estranha quando lemos algo e novemos ali, de que é possível viver sem que a vida seja cheia de aventuras, podemos encontrar a paz dentro de nós mesmos...e por vezes só tenho paz após arrancar de dentro de mim palavras, frases, poemas até...mas o que fez com que eu parasse aqui e refletisse foi este viver só. Vivo só e quero ter paz...belo poema.
ps. Carinho respeito e abraço.

Manuel Luis disse...

O mais lindo desabafo que li. Não te esqueças de mim!
Estou aqui.
Bjs