terça-feira, 5 de agosto de 2014

A enlouquecer



As solas dos pés esfarelam-se no passo sem forças,
arrastam o corpo cego,
cansado,
sem tino
de uma demência  eminente.

No caminhar ensanguentado,
vou-me perdendo.

Perder o quê?
Acaso tive algo?
Alguém?
Eu?

Foi mera ilusão,
fantasias loucas
o ter-me pensado . . . existir.

Deixo que escorram as últimas esperanças
no carreiro outrora de lágrimas.

Sou fonte seca,
já chorei por tudo,
por nada,
por mim.

Esvaio-me simplesmente
na loucura dos sentidos,
dos pensamentos que me magoam.

Sou grito sem voz,
labirinto sem saída,
sou nada.


18 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Um grito de desespero. Fico triste ao lê-lo.
Um abraço

Eduardo Maria Nunes disse...

És nada e és tudo...
não és fonte seca sem água
será da tua imaginação usufruto
já percebi, está apaixonada!

Um poema de tristeza enfeitado.
escrito com muita imaginação
mesmo ai à beirinha do Rio Sado
onde habita, o amor e a paixão!

Anima-te Pérola, beijinhos.

Laura Santos disse...

Ninguém é um nada ou fonte seca por maior que seja a lonjura do desespero.
Escreves bem demais, e sei que esse teu sentimento dura apenas o tempo de um poema.
Gosto muito de ti, Pérola. E a tua escrita é para mim uma inspiração. Porque te mostras, porque és tu.
xx

Patrícia disse...

Nossa que "loucura" mais agradável.
Perola, mande uma história sua ou de alguem pra meu e-mail que lá te explicarei de novo como será o quadrinhos ...e não precisa me pedir desculpassss hehe
Bjs

Amara Mourige disse...

Lindo demais Pérola!Adoro essas loucuras dos poetas!!
Beijos
Amara

Pedro Coimbra disse...

É alguém que escreve coisas que gosto muito de ler, isso eu sei

Cidália Ferreira disse...

Bom dia Pérola

Belissimo!

beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Francisco disse...

Estás a precisar de férias :)

Muito bom

Beijinhos grandes

Pecola disse...

Mais palavras de força

Graça Pires disse...

Poema triste como um grito de dor... É preciso improvisar os sonhos. Deixar correr as lágrimas para que sejam purificadas... É preciso coragem...
Um beijo, amiga.

Kunti/Elza Ghetti Zerbatto disse...

Uma loucura poética que apesar de triste é muito bela.
abração com carinho

Armando Sena disse...

Um belo mergulho de euforia.
Que prevaleça a vontade.
bj

adaobraga disse...

Eu gostei deste texto agonizante, eufórico, psicologicamente perturbador.

Esta licenças poéticas em que você pode ser tudo, em qualquer instante, as vezes, também serve para nós mesmos existir esta natureza demente, psicótica. Eu aprovo e gosto.

adaobraga disse...

Eu gostei deste texto agonizante, eufórico, psicologicamente perturbador.

Esta licenças poéticas em que você pode ser tudo, em qualquer instante, as vezes, também serve para nós mesmos existir esta natureza demente, psicótica. Eu aprovo e gosto.

Omar enletrasarte disse...

un poema maravilloso, aún cuando es de desesperanza, es agonía pura
saludos

Cláudia disse...

Muito triste, mas não deixa de ter a sua beleza.

Beijocas

José Carlos Sant Anna disse...

Se alivia, sopra esta nave sem inflar a vela, que lhe fará bem. Quando alcançares a terra, sentirás o bafejo de outros ventos...
Beijos, Pérola!

Agostinho disse...

As lágrimas hão de voltar para que os olhos vejam a maravilha de um sol a renascer.