domingo, 31 de agosto de 2014

Ter-se


Que tenho eu?
Nada é meu.

Tudo é mera ilusão,
quimera da vida
no empréstimo
do sopro vital,
ser-se na validade do relógio.

Despe-se o calendário
em meses fora moda,
mudam-se pensares
ao sabor de outras marés,
em carrossel que anda,
gira no mesmo local.

Sucedem-se pessoas,
novidades oferecidas
com vale aprazado
e eu acredito:
É meu.

Ingénua suposição,
espectro de sonhos acalentados
no que apreendi,
do que me contam

Urge acordar,
despertar,
soltar fantasmas de posse
que me tomam
para que despida do 'ter'
possa ser eu,
talvez.

Não sei,
nunca o descobri,
sou, apenas, mais uma pétala
de flor deitada ao vento.

Que tenho eu?
Um punhado de nada,
uma mão cheia de tudo,
quem sabe?

Mergulhada em desassossego,
só quero ter-me . . .



40 comentários:

✿ chica disse...

Profunda e linda poesia reflexão! Inspirada sempre! bjs, chica

Ivone disse...

Linda Pérola, amei ler, há momentos que nem sequer podemos ver o que há fora de nós, quanto mais dentro, somos um mistério, sentimos e nem sempre sabemos distinguir, aí fica a pergunta, "o que somos, o que temos?", boa reflexão, isso é bom, nos dá inspiração para escrever essas "jóias"!
Abraços e tenhas um lindo domingo!

Timtim Tim disse...

Nunca nos temos...

Ricardo- águialivre disse...

Maravilhoso

Desejo um feliz Domingo
...............................
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Cidália Ferreira disse...

Como sempre, és fantástica. Adorei

Beijos e um bom Domingo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Irene Sarranheira disse...

Olá Perola bom dia.
Belíssimo poema muito grata por partilhar.
Bom Domingo.
Bjinhos ♥
http://sarranheira.blogspot.pt/

Elyane Lacerdda disse...

Acredito que os poemas refflitam nossa alma,amiga e poeta!
bravo!!!!
Bjus e um domingo iluminado!
http://www.elianedelacerda.com

Mar Arável disse...

Belo

Por vezes é preciso perder-nos
para melhor nos encontrarmos

Pretty in Pink disse...

Termo-nos e conhecermo-nos no verdadeiro sentido das palavras já é um belo começo :)

Beijinho*

Ana Tapadas disse...

É isso mesmo...dito de bela forma!

Beijo

Laura Santos disse...

Andamos todos de mãos vazios a tentar encontrar-nos.
Belo poema!
xx

Francisco disse...

Vamos todos numa caixa, e apenas levamos o que visitámos, o que vimos, o que fizemos de Bom ou mal...

Beijinhos

marina maia disse...

A nossa busca é incessante...a minha sempre pela felicidade!
Beijinho

Carla Wolf disse...

Adorei a reflexão <3

www.vestindoideias.com

emanuel moura disse...

Nada temos ,nada levamos ,apenas a certeza que um dia partiremos com um corpo corrompido pelas intempéries do tempo ,muitos beijinhos

Maria Adeladia disse...

AMIGA, quanto mais procuramos, mas confusos ficamos.A busca é infinita.Tenha uma noite de paz e alegrias.Bjs.

Arco-Íris de Frida disse...

As vezes fujo de mim...

Beijos...

Sónia TM disse...

Lindissimo, como sempre

Sónia
www.tarasemanias.pt

Pedro Coimbra disse...

Vamos possuindo algumas coisas, Pérola.
Não sabemos bem o que realmente temos.
Beijinhos e votos de boa semana

PINTA ROXA disse...

E não temos nada mesmo. Nascemos e morremos de mãos vazias...

beijinhos boa semana

Rapha Barreto disse...

Quero ter me tbm, me conhecer a fundo, saber todas as respostas.

Adorei,


Beijos e ótima semana
http://mylife-rapha.blogspot.com

Arco Íris disse...

Que bom " ter-te "....
Já tinha saudades deste espaço, que nos transporta para uma Poesia tão linda.
Obrigada
Beijinhos

Daniel Costa disse...

Pérola

Num poema, evocando talvez, o desassossego, ser pétala é o principio da flor.
Devo dar nota máxima!
abraços

Jovem $0nhador@ disse...

Já tinha saudades destes textos =) espero que tudo esteja bem! Bjinhos

Mona Lisa disse...

A vida é uma busca constante.

Magnífico poema.

Beijinhos.

José Carlos Sant Anna disse...

Que belo poema, Pérola! Por um momento, a percepção imediata de que essa página é habitável não só pelo eu do poema, mas por outros eus que se identificam imediatamente com essa sensação de vazio que fica em suas mãos.
Beijo,

ricardo alves / são paulo,brasil disse...

este texto é muito bom e fiquei pensando que ele combina com todas as "etiquetas" que apresenta para este post!!!!!!

Ives disse...

O que é ter, enfim, senão a nossa inteligencia, não é? O resto só "vemos em partes"

EU disse...

Gostei imenso desta originalidade sobre o questionamento do "ter-se". Temos algumas coisas, tangíveis, mas não são estas o cerne da questão. O que se quer é o intangível, o que, muitas vezes, nem com a ajuda imagética, conseguimos definir: Resta, a eterna procura.
Bjo, querida Pérola :)
(Aos poucos vou retomando as visitas)

Claudio Chamun disse...

Tudo é teu, não se aborreça não
foi feito dentro do coração.

Suzete Brainer disse...

Olá Pérola,

Belíssimo!

A nudez do ter ao encontro do

ser, caminhando pelo sentir

como seta da verdade,onde

as inquietudes levam a

um desassossego fértil

e poético...

Beijinhos.

Vieira Calado disse...

Somos apenas um uso provisório da Terra!
Só as madrugadas nos salvam!
Saudações poéticas!

Andreia Morais disse...

No fundo, estamos cá de passagem, por isso tudo é efémero. Só que temos a sorte de umas coisas durarem mais do que outras.
Adorei o poema. Fantástico, como sempre!

M D Roque disse...

Sempre tão bom vir aqui... :)

Entre chegadas e partidas, uns segundos para deixar um grande abraço.
Estou com uma espécie de Foto-Blog,porque o tempo não dá para mais.
Tinha que vir matar saudades.
:X D

http://acontarvindodoceu.blogspot.pt

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, nem sempre nos conhecemos, passa-nos pela cabeça muita coisa, que nada tem com a nossa personalidade, mas que nos tenta.
Se tivermos consciência das próprias fragilidades, ficamos mais fortes para a conquista do desejado.
AG
http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

ReltiH disse...

MUY SIGNIFICATIVO TEMA!!!
UN ABRAZO

Crocheteando...momentos! disse...

E se no meio desse desassossego...nos conseguirmos encontrar...excelente!
Gostei muito! Bj

Guaraciaba Perides disse...

Muito bonita sua forma de expressar um sentimento que sendo seu também representa o de toda gente...e apesar de termos nada também temos tudo no prazer de usufruir o bem maior, a vida.
A imagem também belíssima.
um abraço

Agostinho disse...

Muito boa pérola para guardar no fundo da gaveta, Pérola.
N'O Mundo é Grande é deitar fora.
Bj.

© Piedade Araújo Sol disse...

o desassossego do poeta num poema muito lúcido...

:)