sábado, 30 de agosto de 2014

Da homosexualidade, das diferenças, dos opostos . . . só por acaso.




Ainda ontem, pensava na homosexualidade em virtude dumas imagens em que tropecei.
E logo ponderei uma partilha.
Foram vários os pensamentos que me assolaram e decidi tentar pôr por escrito uma realidade tão polémica.
Devo frisar que, no meu dia-a-dia, sou alheada destas coisas das diferenças como orientações sexuais, raças, religiões.
Tenho as minhas (fracas) opiniões, mas respeito tudo e mais alguma coisa desde que não interfira com a minha individualidade (e integridade) ou dos outros.


Posto isto, comecei por procurar definição:
Reza assim a definição da popular enciclopédia Wikipédia:

"Homossexualidade, também chamada de homossexualismo (do grego antigo ὁμός (homos), igual + latim sexus = sexo), refere-se à característica ou qualidade de um ser (humano ou não) que sente atração física, estética e/ou emocional por outro ser do mesmo sexo ou género.

A homossexualidade é uma das quatro principais categorias de orientação sexual, juntamente com a bisexualidade, a heterossexualidade e a assexualidade, além de também ser registada em cerca de 5.000 espécies animais."

Já chega de 'ciência'.


Vivemos num mundo onde os opostos são constante: há o quente e o frio, o alto e o baixo, o amor e o ódio, o escuro e a luz . . . e por aí fora. 
Claro que esta diferença, ou oposição é sempre relativa (em relação a), não absoluta. Algo pode ser sempre mais frio, mais amoroso, etc.
Tudo depende da unidade de medida usada, do sujeito que observa ou julga.

Afinal, é a tal subjectividade onde sempre caio.

Agora, a questão: serão o homem e a mulher passíveis de se integrar nesta dicotomia?
Serão opostos?
Penso que a diferença ninguém poderá negar.

Nisto tudo não residirá a complementaridade pela oposição?

E a existir a complementaridade, onde fica a necessidade de afeto romântico, sexual, emocional por pessoa ou animal do mesmo sexo?
Pois, este não é campo puramente humano, há outras espécies que o praticam.


Claro que o assunto é complexo e nem tenho a pretensão de o estudar.

Cresci a sentir-me atraída pelo género oposto. Creio que o mesmo se passará nas pessoas com todas as orientações sexuais: não se explicam por muito que se estudem.

A História mostra que a cultura pode influenciar positiva ou negativamente, mas a realidade é que sempre existiu.



Já divaguei.
Cheguei a parte nenhuma.
Em nada contribuí para a evolução pessoal ou humana.

Sou assim, dada a pensamentos desfiados, soltos, sem nexo, que conduzem, por sua vez, a outros pensares.
E . . . assim vivo, enredada nas diferenças onde me sinto meio perdida e me sou.

Valem-me os vossos comentários inteligentes, vestidos de outras realidades que me abrem horizontes.






21 comentários:

Francisco disse...

Lá sei porque gosto de ervilhas e não gosto de favas...

Sempre vi a homossexualidade neste prisma :)

Beijinhos grandes

Cidália Ferreira disse...

São gostos, e há que respeitar os gostos de cada um, temos que estar preparados para todas as adversidades da vida. Gostei de ler

Bom Sábado
Beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Mona Lisa disse...

Não perco tempo a pensar nas tendências dos outros.

Cada um sabe de si!

Beijinhos.

Laura Santos disse...

Uma bela peça de de joalharia, esta. Considerada exótica por alguns. Mas a homosexualidade sempre existiu.
Para mim, a sociedade é sempre hipócrita na aceitação do que é diferente. Cada um é como é.
Algo existe de diferente nos genes para que uns se sintam atraídos por pessoas do mesmo sexo, e outros não.
Eu gosto do sexo oposto.
xx

Carmem Grinheiro disse...

Olá Pérola,
Como dizes tão bem, é tema complexo, como aliás, tudo que diz respeito ao ser humano.
Eu, como você, também me perco nos meus pensares e divagações :) e, muitas vezes não chego a lado nenhum...
Mas sei uma coisa, como você também já deve ter aí chegado: há coisas, que não é por não termos ainda, a capacidade de entender, que deixam de ser o que são.
Neste caso concreto das diferentes orientações das pessoas, eu aceito e respeito, ponto. Porque é o que toda a gente precisa: ser aceite e respeitada.
Adorei o "pensamento" de Sousa Santos, que você usou para fechar o post - diz tudo.
bjo amigo e bom fds

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Pérola!

Neste assunto como em tantos outros, cada cabeça sua sentença."Nem todas valerão o mesmo", mas todos a ela têm direito.E a forma sucinta como Boaventura encara a situação, parece-me bastante sensata e também consensual - e também longe de suscitar polémicas.

No fundo, tudo o que a mãe natureza(ou seja lá quem for que nos criou) de nós espera, é que seja dada continuidade à espécie, e a humanidade não acabe...

Beijinhos e bom fim de semana.
Vitor

Dorli disse...

Oi Pérola!

Pérola, tem gente antiga que viveu tanto o trabalho para a sobrevivência da família que não sobrava tempo, achava diferente, só.
Às vezes é bom ser ignorante para não se decepcionar. Eu já casada precisei explicar a minha mãe esse gosto que certas pessoas têm pelo mesmo sexo, ela quase desmaiou, antes a tivesse deixado morrer na sua ignorância
No geral as pessoas fazem que aceitam porque não é na sua família. É um assunto difícil.
Eu vivo minha vida, trabalhei com muitos homossexuais e lhe digo uma coisa: são nossos melhores amigos.
Uma linda noite
Beijos
Lua Singular

emanuel moura disse...

Concorde-se ou não e preciso acima de tudo respeitar as diferenças acima de tudo ,muitos beijinhos querida amiga Perola

Bia Hain disse...

Olá, Pérola. Acredito que esse divagar solto produz os conceitos mais profundos. Apesar de haver o entrave cultural, procuro respeitar as opções, pois acredito que o que vale nessa vida é ser feliz. Um abraço!

✿ chica disse...

Tu sempre abordando temas e fazendo colocações importantes. Respeito pelas preferências alheias é preciso! bjs, lindo domingo! chica

José María Souza Costa disse...


Olá, tudo bem ?
Nesta tarde meio sol, meio cinza, de sábado aqui em Sampa, aproveito para te desejar, um fim de semana agradável. Cada um, dentro do seu proporcional tempo. Mas, não podemos esquecer, que é o Criador, o regente dos nossos sonhos e inspirações. Portanto, nesse caminhar de vontades, o que não aconteceu no dia de hoje, é por que, só realizar-se, em um tempo determinado. E todo tempo é tempo, desde que o Pai Eterno, assim, nos conceda.
Paz e Luz
Abraços.

Andreia Morais disse...

É verdade que às vezes me questiono sobre o facto de como é que nasce em nós esse gosto por alguém do mesmo sexo. O que é que desperta cá dentro para ser assim. Mas, por outro lado, também me faço a pergunta ao contrário: porque é que não somos todos assim? Acho que podemos olhar sempre para os dois primas do tema. E por mais teoria que se encontre continuaremos sem entender, talvez porque não tenha que ser entendido. Nunca me fez confusão, acho que as pessoas têm é que ser felizes com as suas escolhas e sentirem-se confortáveis para as partilhar se assim entenderem. Tem é que haver respeito de todas as partes.

Muito obrigada!
Não tenho qualquer jeito para dançar, muito menos para dançar kizomba, mas também não consigo ficar parada :b

Arco-Íris de Frida disse...

Só que homossexualidade não existe, nunca existiu. Existe sexualidade - voltada para um objeto qualquer de desejo. Que pode ou não ter genitália igual, e isso é detalhe. Mas não determina maior ou menor grau de moral ou integridade.
(Caio Fernando Abreu)

Faço dele as minhas palavras...

Beijos, Perola...

Alguém disse...

Gostei sobre o tema abordado, principalmente em dias atuais, mas logo tratando de corrigir "o correto é homossexualidade…”. Tratando-se de um processo discriminatório Tudo que finalize com ismo é discriminação de um indíviduo para com o outro. Neste caso poderia entender indiretamente, digamos... que você é do contra rs, claro que é compreensível também sua falta de informação relacionado a este assunto, entendo assim a sua intenção ao citar sobre o caso da "Homosexualidade" voltado ao bom senso comum ou de boa intenção.


Anonyma.

Irene Sarranheira disse...

Sinceramente este tema só uma coisa é realmente importante o respeito, se soubermos respeitar o próximo tudo corre bem.
Bom Domingo.
Bjinhos ♥
http://sarranheira.blogspot.pt/

adaobraga disse...

Homossexualidade, homossexualismo não é um tema simples não, e, há, vários motivos por que não o é.

O padrão estabelecido por todos nós, é que, o padrão vigente é como a maioria é. Assim, o próprio homossexual, se sente fora do padrão da maioria.

A maioria tende a ignorar ou mesmo excluir, os diferentes do padrão da maioria.

E, há, por exemplo, entre os pombos, que é um tipo de animal comportamento semelhante. Se um pombo nasce deficiente, todos ou a maioria dos pombos vão lá bica-lo até a morte.

Há no entanto, povos, que estimulam o homossexualismo, a homossexualidade, e acham, uma benção haver entre eles pessoas assim.

A vida homossexual não é fácil. Se nasce assim. E, num ambiente favorável aos heteros, os homos, chegam, e já começa em desvantagem. Ele tem que, primeiro identificar quem lhe é semelhante, e depois, quem sabe, conquistar.

Cláudia disse...

Também respeito cada um, desde que me respeitem.
Todos amigos =)

Beijocas

Luma Rosa disse...

Oi, Pérola!
Nunca se viu tanto homossexual e não é que eles não tenham saído do armário no passado. Acredito que na atualidade, a homossexualidade seja mais comportamental do que propriamente uma escolha sexual, acha visto o grande número de pessoas que também se declaram assexuadas.
Já vi, pessoas com comportamentos opostos ao que a sociedade impõe mas que na vida privada possuem vida sexual "tradicional".
Enfim, cada um, cada um... Realmente não me preocupo com a vida sexual alheia e espero que muitas das pessoas que hoje se dizem homossexuais tenham realmente refletido sobre essa opção e não estejam apenas seguindo "modinha".
Boa semana!!
Beijus,

EU disse...

Acho que todas as matérias são polémicas, sobretudo se saem da "normalidade" construída pela sociedade.
Para mim tudo está dito nas palavras de Boaventura Sousa Santos...
Bjo :)

Joana disse...

Aqui vai meu comentário, apesar de não lá muito inteligente porque nem assim eu sou, mas acho que nunca pensei no assunto. Acho que não preciso ter opinião a respeito, talvez porque ache natural. Se há amor então que seja, afinal, acho que tudo que a humanidade mais precisa no momento é amor, seja como for. Bjs
Joana

► JOTA ENE ◄ disse...

Sabes MF, considero este artigo, um artigo sério. A discussão das orientações sexuais de cada um.

Aceito tudo, mas mesmo tudo, algumas não sou praticante vá-se lá saber porquê.

Aliás, para rematar direi que tenho amigos, amigas e conhecidos de todas as orientações sexuais.

Sinceramente, não tenho o mínimo interesse em saber se são homo, bisex ou trissexual ! Desejo sim, que sejam obscenamente felizes !