sábado, 24 de novembro de 2012

Querido Diário...


Meu querido Diário,

Faz tanto tempo...já nem me recordo quando te escrevi pela última vez.
Sabes? Não tem sido por falta de tempo.
Nunca te cheguei a contar, mas alguém encontrou o meu 'caderninho' e fui castigada pelos sentimentos expostos. Há certas coisas que não conseguimos ou não podemos expressar na face de quem nos magoa.
Foi o caso.
A autoridade de mãe ficou beslicada pela minha irreverência nas confidências que te fiz.
Fui castigada por escrever sentires íntimos que à luz da distância parecem tão infantis. E eram-no realmente. Afinal mal tinha entrado na adolescência.
Pois bem! Senti-me violada e nunca mais te escrevi uma linha.
As palavras ditas podem ser esquecidas, reinventadas, argumentadas, distorcidas ou simplesmente ignoradas.
Agora a escrita é outra história. Constitui facto, prova de 'crime' e a interpretação tão subjectiva.
Por outro lado senti-me suja com o ocorrido e no alto da minha tenra idade a baixa auto estima não ajudou.
Passado já passou e nem sei porque me lembrei de ti.
A verdade é que aqui estou eu a dizer-te que já me aconteceram milhões de coisas, tropecei em muitas pessoas novas e 'eu' talvez já nem exista como me conheceste.
As conversas que tinha contigo acontecem agora no mundo dos meus pensamentos e são diálogos interiores.
Há pensares que não devem sair dentro de nós. Para o bem e para o pior.
Termino com carinho e saudade de tempos idos, de confiança pueril.
Saudades de mim, do projecto que poderia ter sido.

Até!

9 comentários:

C.S. disse...

Também escrevia diários... ainda os tenho! Cada vez que os lei-o rio-me sozinha. A inocência, os sonhos, os desejos... Lindo, de um tempo que já lá vai...
Abreijo querida! :)

Quase-Princesa disse...

É super giro ir ver os nossos diários dos tempos em que éramos crianças ainda. Tanta coisa mudou entretanto... Já não somos aqueles seres inocentes, benevolentes e indefesos. Infelizmente crescemos.
Bom texto. Beijinho*

Ovelha Flor Guerreira disse...

Também tive um diário...Aliás, escrever, para mim, sempre foi um vício!

Francisco disse...

Também escrevi um diário em pequeno. Mania dos adultos cuscarem o que a gente rabiscava :)

Beijinhos Grandes

lena disse...

Olá Pérola.
Também escrevia um diário e ainda o tenho guardado e de vez em quando gosto de reler o que escrevia.
Beijinhos grandes.

Mona Lisa disse...

Nunca tive um diário comum!

No meu ,vou escrevendo dia a dia com os dedos da memória...

Este, ninguém o lê!Só EU!

Imagina o tamanho do baú!!!

beijos.

Lilá(s) disse...

Na adolescência também comecei um diário, que teve curta duração precisamente porque descobri um dia a minha irmã bisbilhotando...
Bjs

manuela barroso disse...

Por isso é que nunca escrevi um diário...
...Quem me sabe ler?
Bjiii

Pirilampa disse...

Nostalgia...
Também tive um, mas depois descobri que não era só meu :(