quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Silvestre


Silvestre é meu querer
à razão não gosta de obedecer.

Silvestre é meu palavrório
que se escapa de sensato território.

Silvestre é meu corpo desenfreado
sem defesas fica desamparado.


Sou florzinha silvestre.
Singela.
Sózinha.
Sem cuidados de jardineiro.
Nasci, cresci nos cuidados dos vendavais, do Sol abrasador.
Sou perfume bravio,
de toque rude.
Aguardo cuidados desbravados,
ternuras sonhadas
nas pétalas do meu ser.
Balouçando ao sabor da liberdade,
esboço sonhos...
Sem amarras ou entraves
alcanço vertigem selvagem.
E na vulnerabilidade do bravio
finco raízes
aguardando a colha do amor.

12 comentários:

✿ chica disse...

Lindo e tão doce. Adoro as flores silvestres. Tudo lindo aqui! beijos,chica

lena disse...

Que lido Pérola acho que também sou uma flor silvestre. Por isso gosto muito delas.
Beijinhos grandes.

Arco Iris disse...

Lindo Pérola.
Gosto imenso de flores silvestres, cheira-me a Natureza.
Bjs:))

Tétisq disse...

Semeia-se, deixa-se amadurecer e espera-se a época certa para colher...*

Cláudia disse...

Fez-me lembrar a Primavera =)

Deu--me hoje para esse lado lol

Beijocas

Kapikua disse...

estás com veia...

beijo

Francisco disse...

Também gosto muito de flores silvestres :)

Beijinho Grande

Vera, a Loira disse...

Que giro, adorei. Também sou uma flor silvestre.

manuela barroso disse...

A sensação da liberdade na cor e perfume da flor - silvestre!
Poesia naturalmente sedutora
bji

Secreta disse...

Palavras repletas de vida e cor...
:)

Mona Lisa disse...

Uma margarida!

Beijos.

Alex disse...

Adoro as flores silvestres. São as mais bonitas!