sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Negro Profundo ( 18 )

Essa semana de luto conduziu a uma maior intimidade entre os dois amigos de infância.
A cumplicidade sempre tinha estado presente e conseguiam entender-se através de pequenos gestos involuntários, de olhares, enfim conheciam-se duma forma genuina e insubstituível.
Samara afastava os fantasmas que tinham regressado do seu passado: a rejeição da família, a intolerância que não conseguia perceber.
Por outro lado, o carinho com que era rodeada na familia adotiva ajudavam-na a superar pensamentos sombrios e liquidar qualquer assombração.
O jeito sonhador de Luís continuava a proporcionar-lhe momentos de riso. Desfazia-se em histórias de animais que nos íltimos anos povoavam o seu universo universitário no seio do Hospital Veterinário.
Tinham em comum o gosto pela vida, a saúde e trocavam conhecimentos.
Dentro em pouco seriam profissionais e ambos pretendiam regressar para a cidade perto das Mimosas onde esperavam poder ajudar, cada um na sua área.
Num dos passeios pelos campos coloridos, Luís traz a mão de Samara na sua como já era habitual.
Porém, desta vez, o rapaz pára e olha profundamente os olhos negros de Samara.
Esta até se asustou com o sério semblante. A brincadeira e o olhar alheado eram mais habituais na sua face.
Luís aproxima-se da face de Samara e deposita-lhe um leve beijo nos lábios.
Acrescenta: 'Sei que não é a melhor altura...mas, adoro-te, aliás, estou apaixonado por ti...queres ser minha namorada?'
(continua)

5 comentários:

LUZ disse...

Olá, sensível Pérola!

Não tenho estado a a companhar esta sua narrativa, visto só há poucos dias nos seguimos.
Já li o texto, como sempre, muito bem escrito, mas prefiro não comentar, porque não tenho o fio condutor do mesmo.
Parece que estamos a ver os acontecimentos, e isso deve-se à forma, como escreve.

Tenha um bom fim de semana.
Amanhã, segundo ouvi, vai estar melhor tempo.

Beijinhos da Luz, com afeto.

manuela barroso disse...

O "suspense" , a adjetivação nas descrições de trechos da narrativa, o romantismo com que envolves os ambientes, o estilo visual, fazem de ti uma boa escritora. Gosto.
Beijinho

Mona Lisa disse...

Volta o suspense!

Será que a família de Luís aceitará o namoro?

As diferenças étnico-sociais serão impedimento?

Cá te espero!

Beijos.

Pretty in Pink disse...

Mal posso esperar pela resposta a essa última pergunta :):)

Beijinho*

Manuel Luis disse...

Ando a ler-te por aqui nos campos coloridos.
Essa é a pergunta que me apetece fazer.
Vou continuar, mas antes, desejo-te uma excelente saúde.
Quase no Outono e em Coimbra.
Bj