terça-feira, 2 de setembro de 2014

Mãe Terra


Meu corpo é de água
donde irrompem sinais de terra,
toda eu sou paraíso de delícias.

Bebo atmosferas universais,
meu corpo se adoça ao Sol,
sempre pronta a girar,
em incessante devir,
quase pareço irmã do Tempo.

Sou mãe atenta,
doo-me na íntegra
a quem me chama,
me procura pelas vastidões de mim.



Tomem!
Aceitem!
Alimentem-se em minha pele,
adormeçam no meu regaço,
sou colo para mais um.
Sou vossa!

Sou assim,
frágil como mulher grávida,
imensidão para os distraídos,
grão cósmico em areal de estrelas
no olhar curioso.


Existo no zelo das minhas criaturas,
daquelas que sabem do meu equilíbrio,
desvelando-se em cuidados
que recebo como beijos,
prendas por demais apreciadas.

Amo-te sem te pedir amor,
acaso não é sina de mãe?



29 comentários:

Suzana Martins disse...

Amo, simplesmente amo, sem pedir nada! amo só pela simples vontade de amar!!

Gostei demais do teu poema!

Abraços!!^^

Carpe diem to me disse...

Um verdadeiro amor de Mãe muito bem retratado!
Beijinhos

emanuel moura disse...

Dadiva de vida ,um lindo poema querida amiga Perola ,muitos beijinhos

Cidália Ferreira disse...

Boa noite Pérola

Um poema soberbo, que amei. Obrigada
Parabéns.


beijinhos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Andreia Morais disse...

Lindo, lindo, lindo!

Elisabete disse...

Amor incondicional!
Bjs

Magda Carvalho disse...

Que lindo o poema :)
http://retromaggie.blogspot.pt/

artista sem pena disse...

Belas palavras sobre a mãe maior que tem sofrido tão duros golpes.
Parabéns!

ReltiH disse...

UN TEXTO MARAVILLOSO, DELICADO...!
BESOS

Marcos Satoru Kawanami disse...

É muita gente para o leite dela. A população tem de praticar o planejamento familiar.

XicoAlmeida disse...

De candura, amor subtil e apelativo, na espera da visita em que cada qual traz a sua mensagem.
Amor, apenas...

Laura Santos disse...

A Mãe Terra é forte e vulnerável, sobretudo com os desmandos dos seus filhos, como qualquer mãe.
xx

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Adorei, Pérola! Dos melhores poemas que tenho lido aqui.
Beijinho

Edumanes disse...

Do que o tempo és mais velha?
nascentes antes do tempo
porque és a mãe ta terra
como falas bem te entendo!

Um beijinho para amiga Pérola.
Eduardo.

Agostinho disse...

Eu respondo:
- É sim, Pérola, amor.

José Carlos Sant Anna disse...

Acho que nem Bilac percebeu com tanta clareza o que seria o desdobrar fibra por fibra. A mãe natureza agradece a beleza do poema.
Beijo, Pérola!

Pedro Coimbra disse...

A Mãe Natureza só nos pede que não sejamos seus agressores, Pérola.
Não é pedir muito.

© Piedade Araújo Sol disse...

sim, amor de mãe é incondicional...

beijinho amigo

:)

Ana Bailune disse...

É sina de mãe terra, que sempre dá e nem sempre recebe nosso amor em troca...
Maravilhoso!

Graça Pires disse...

Um poema muito belo dedicado à terra-mãe. Ela se nos oferece sempre e às vezes é tão mal tratada...
Beijo.

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Pérola!

Lindo gesto, generosidade suprema, a de tudo estar disposta a dar apenas esperando em troca o ser tratada com carinho.Coisa própria de quem é mãe; só poderá ser...

Bonito texto!
beijinhos
Vitor

Kunti/Elza Ghetti Zerbatto disse...

Maravilhosa inspiração poetisa.
uma ótima quarta-feira para ti.
abração com carinho

Bell disse...

Amor de mãe realmente é algo fascinante.

bjokas =)

Hellz. disse...

Amor materno é o mais verdadeiro e raro!

beijo

Arco Íris disse...

Lindo !.....
Uma verdadeira Pérola.
Beijinhos

Arco-Íris de Frida disse...

Lindo...lindo...lindo esse poema que fala da mae natureza... adorei...

Beijos...

Guaraciaba Perides disse...

Oi, Pérola...magnífica linguagem na fala de Mãe Terra. aquela que dá vida e suporta as agruras da maternidade mal
compreendida.
Um abraço

Cláudia disse...

Texto excelente!

Beijocas

EU disse...

Doação (sem reservas). Intenso. Fecundo!
Parabéns!
Bjo, Pérola :)