terça-feira, 17 de abril de 2012

Crónic@s no Feminino 7 #

Preparava o leite aromatizado a café. Rotina habitual no seu despertar. O forte aroma do café atraía-a, e das raras ocasiões em que o tinha saboreado, na sua plenitude, o coração atirava-lhe um aviso. Palpitava, fazia sentir a  sua presença e indispunha-a.
Foi obrigada a parar com os momentos de degustação do café forte. Raros foram os encontros, mas o desejo, impossível de mais concretizações.
Tirou um tempo, levou as indicações médicas em consideração e, agora, tinha aprendido que o podia ter presente nas suas rotinas, embora de composição diferente.
Tinha voltado a saboreá-lo, de forma mais diluída. A intensidade do sabor e odor tinha-se atenuado, mas o prazer, mais tranquilo, saciava-a.
Assim, com adaptações e novas abordagens, o café tinha-se introduzido nas suas rotinas, bem como outros cheiros, outros sabores e até outras pessoas.
Entretanto, disfrutava da bebida láctea aromatizada a café e, isso, deixava-a, despretensiosamente, feliz.

4 comentários:

Vera, a Loira disse...

E podemos ser feliz com tão pouco, até com um café. Gostei.

ana minhalma disse...

também tenho coisas que não uso, guardadas numa gaveta! sei que daqui a uns anos vão fazer jeito como as roupas da minha mãe me fizeram este ano :) um beijinho

tétisq disse...

Muito Bonita...a descrição de uma manhã feliz, se todas fossem assim era perfeito, mas nem sempre temos olhos para a simplicidade*

Pérola disse...

A simplicidade parece-me ser a chave da porta que dá para a felicidade.
Beijo!