domingo, 15 de abril de 2012

Prendas !

                                               
Como gosto de receber presentes! De que maneira me alegra oferecer pequenos mimos!
A alegria é bem acolhida, no meu coração, quando o agrado é autêntico como resposta à minha singela oferta.
De igual forma, o estômago enche-se-me de borboletas quando me surpreendem, com o que me fazem chegar às mãos ou a outras partes do corpo, com algo que teve origem num sentimento genuíno de me agradar.
Sinto-me uma princesa, acabadinha de sair do conto de fadas, na parte do 'casaram e foram felizes para sempre'.
Adoro o trocar destes gestos, de coisas materiais, ou simbólicas. Sim! Um olhar, uma frase, um toque podem ser  uma grande prenda! E que rica prenda! (Hoje estou cheia de humor.)
Sinto-me desassossegada quando, querendo ofertar, o que quer que seja, verifico que não fui de encontro do recetor. A culpa será minha, certamente. Revela falta de conhecimento ou de atenção para com o outro.
Que fazer dos presentes que se mostram insuficientes para cumprirem o objetivo inicialmente proposto?
E se o Amor estiver dentro dessa dádiva? Serão, o embrulho rasgado, o papel feioso, o laço deformado, as limitações na entrega, entraves à magia do dar?
Que fazer do que se quer oferecer? Do amor urgente que tenho entre mãos para presentear e se revela insuficiente dada a recusa?
Será que os presentes limitados, imperfeitos, não aceites, ao serem devolvidos  se transformam em mísseis dirigidos à destruição do nosso ser afetivo vulnerável, fragilizado pelos eventuais desencontros das mais variadas formas ?
Pois! A comunicação impõe-se, quer-me parecer.
Quero oferecer, não mo permitem, com total plenitude. Recusam-no! Como poderei sobreviver?
Prenda? Quero dá-la, sim! Aceitas?

14 comentários:

cycle disse...

to compliqueidet para mim :|

Blackye disse...

Eu sou da opinião que o que interessa mesmo é a intenção, não o presente em si. Por isso, mais vale optar por presentear as pessoas que gostamos com coisas não materiais, é preferível a meu ver.
Beijo

Alergia disse...

Concordo com a Blackie.
O que interessa é a intenção de quem oferece!
Como expliquei abaixo, aceitei com gosto os selinhos. só não tenho coragem de passar adiante o tal da bandeira alemã... ehehe!
Bjo

Mona Lisa disse...

Gosto de dar presentes.Gosto de ver o sorriso de quem os recebe. Não importa o valor monetário, mas o sentimental.
Não importa a embalagem, mas o conteúdo...
Nunca pensei na hipótese do presente não agradar...

Beijos.

mfc disse...

Mais que o desagrado do presente (que pode ser sempre disfarçado), dói mais a sua recusa!
Presentes são sorrisos que temos ali presentes por quem no-lo oferece.
Mas prefiro oferecer do que receber.
Há um prazer enorme na oferta!

Beijos,

Mimi In Love disse...

Ola... Obrigada :P Sim ja tenho eheheh quando o colocas-te ... Tirei o logo... esta na pagina selos do meu blog.... :P
Ohh... Nao sabia que ja o tinhas nao tinha reparado :S ...

Sorry ...

Quanto às cores... nao podemos generalizar... nem que é alemao, nem que é mau.. porque nem todos os alemaes sao maus.. como nem todos os portugueses! ha de tudo :P

ehehehh

Beijinho***

Ana Martins disse...

Pérola, boa noite!
Em resposta à pergunta no meu blogue, sim sou eu a 3ª imagem do topo. Aquela foto é de Dezembro de 2010 e foi tirada no dia do lançamento do meu livro "Ave Sem Asas". No poema "Dir-te-ei...", também sou eu, ou melhor, eu e o meu marido há 24 anos atrás.
Quanto a teres amigos(as) imerecidos(as), não posso concordar com isso, se os tens por algum motivo é. Posso falar por ex. da tua simpatia, gentileza e pela qualidade dos textos que escreves, que aliás devo dizer, gosto muito.

Falando agora do teu texto, não conheço quem não goste de presentes. Nem sempre conseguimos ir de encontro aos gostos da pessoa que presenteamos mas, penso que presentes são acima de tudo gestos de amor e carinho, independentemente do valor comercial que eles possam ter.
Quando penso dar um presente, a única coisa com que me preocupo verdadeiramente, é gostar daquilo que vou oferecer, a partir daí, e independentemente da receptividade ou não, a minha consciência está tranquila.

Beijinho amigo,
Ana Martins

Lilá(s) disse...

Olá Pérola
Um presente é sempre um presente, sempre gosto de o receber mesmo que não venha muito de encontro aos meus gostos. Gosto de dar aquilo que me agrada a mim, se não acerto paciência
contou a intenção...ainda não tive ninguém que os tenha recusado, nem sei como reagiria!
Bjs

Pretty in Pink disse...

Também adoro receber prendas, mas principalmente dar :)

Beijinho*

tétisq disse...

Também gosto muito de presentes...gosto de desembrulhar...pode ser do mais simples, simplesmente adoro...*

ps: Tétisq = Té - diminutivo do meu primeiro nome + tisq - anagrama composto pelas iniciais dos meus 4 nomes ( simples )

AvoGI disse...

quem nao gosta de receber presentes? quem nao gosta de dar? ver o sorriso a estima ade quem o recebe.
kis :=)

Opinante disse...

Eu também gosto muito de receber presentes, afinal de contas, quem não gosta? :D

Nany disse...

Eu gosto de dar e receber presente e também fico triste quando aquilo que do é considerado insuficiente.
Eu quando dou, dou de mim, dentro do que posso. Quando recebo recebo também de alguém que penso eu, pensou em mim com carinho quando decidiu sobre aquela prenda. E sim, por vezes um gestou ou uma palavra são os melhores presentes.
Quanto à tua pergunta no meu blog, ele tem no lado direito os seguidores pode tentar por lá. E sim, troca de conhecimentos com quem já passou por 4 experiências são sempre bem vindas.
Já seguia este blog através do meu outro blog.
Bjs
Nany
sattaii@yahoo.com

Vera, a Loira disse...

Era tão bom se a resposta fosse sempre sim.