domingo, 20 de outubro de 2013

Para Sempre !



Zanguei-me com o Mundo,
destruí o passado
e Só
me quedei.

Tropeçaste.

Entornaste-te em mim,
desalinhando-me em desgoverno tolo.

No encontro sem palavras,
deslindámos segredos comuns.
Confundimos razões,
desordenámos preceitos.

Nosso sangue fundiu-se,
em batida de um só coração.
Perdemos a noção do tempo
encontrando-nos em cumes aprazados.

Em desvarios de tamanha fantasia,
instantes ideais de oferenda nua.

Abalaste.


Zanguei-me com o Mundo,

destruí o passado

e Só
me acomodei

para sempre!



Pérola




22 comentários:

M D Roque disse...

Laugh, and the world laughs with you;
Weep, and you weep alone.
For the sad old earth must borrow its mirth,
But has trouble enough of its own.
Sing, and the hills will answer;
Sigh, it is lost on the air.
The echoes bound to a joyful sound,
But shrink from voicing care.
Rejoice, and men will seek you;
Grieve, and they turn and go.
They want full measure of all your pleasure,
But they do not need your woe.
Be glad, and your friends are many;
Be sad, and you lose them all.
There are none to decline your nectared wine,
But alone you must drink life's gall.
Feast, and your halls are crowded;
Fast, and the world goes by.
Succeed and give, and it helps you live,
But no man can help you die.
There is room in the halls of pleasure
For a long and lordly train,
But one by one we must all file on
Through the narrow aisles of pain.


Faz as pazes. Beijinho

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Vi lá em cima que vai lançar um livro no dia 2 de Novembro. Os meus parabéns! Espero poder lá estar.
Beijinho e boa semana

edumanes disse...

Na minha opinião
Não tropecei
Mas dei grande trambolhão
Quando de caras dei
Mas que grande confusão
Para a figura olhei
Me deu um arripião
Acambalear andei
Até fiz triste figurão
Mas parte fraca não dei.
Deram cabo do passado
O presente está assim assim
Do futuro não se sabe
Se será bom ou ruim...
Fogueira dentro do peito arde
Para sempre amar assim!
Boa noite e continua,
não fiques parada
Aproveita bem a vida tua.
Para ti amiga Pérola,
um beijo e boa noite.

Eduardo.

Cidália Ferreira disse...

Bom dia
Gostei de ler!!
Zango-me muitas vezes com o mundo.

Beijinho e uma boa semana.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Beatriz Bragança disse...

Querida Margarida
Que belo poema de amor!
Mas não podemos ficar sós,dependentes de terceiros,porque a vida é breve.
Tenho a certeza de que,com a sua riqueza interior,ninca se sente só. Muitos parabéns por partilhar estas «pérolas literárias».
o meu amigo Henrique,jornalista,pediu-me colaboração no seu blog e já publicou o meu primeiro texto.É sobre a SAUDADE.
Se quiser ler e comentar, o endereço é http://aminhatravessadoferreira.blogspot.com
Desde já,agradeço.
Beijinhos da
Beatriz

Cidália Ferreira disse...

Tenho poste, que não quer sair..

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/2013/10/teu-regresso.html#comment-form

Ives disse...

Olá! Sua poesia é uma verdadeira canção, que alegra a segunda feira! abração

Diana F. Fonseca disse...

Não te zangues, a vida é mais importante do que isso!

Géssica (Kinha) disse...

Passando para desejar uma linda semana floor!
Beijo

PINTA ROXA disse...

Ás vezes é bom tropessar e zangarmo-nos com o passado e olhar em frete para o futuro.
Beijos

Laura Santos disse...

Belo poema sobre a incongruência de certos relacionamentos.
xx

Felina disse...

As vezes é preciso zangar para haver mudança...

Muito bom o poema


Beijoca

Bell disse...

Na vida a gente se decepciona, mas não podemos perder as esperanças.
Dias melhores virão.

bjokas =)

Francisco disse...

Gostei muito,

Mas, não te zangues com o Mundo, podes sempre voltar a repetir um dia ;D

Beijokas

Arco Iris disse...

Bonito o que dizes.....
Um beijinho
Uma Boa Semana

Marta disse...

Algumas dessas palavras acompanham-me, por vezes.

Kimberly disse...

R: Obrigada por participares :D Mais tarde irei responder, fica atenta!

Cláu Fernandes disse...

que lindo*

emanuel disse...

O mundo e um turbilhão de sentimentos em constante transformação ,muitos beijinhos

Mona Lisa disse...

Zangar/acabar,é normal...mas a vida continua e tudo pode voltar a acontecer!

Magnífico poema!

Beijinhos.

José Carlos Sant Anna disse...

Quanto mais zangada mais criativa; o melhor, porém, é encontrar o equilíbrio. Da sua pena, sai sempre um texto incrível...
Beijo,

Ricardo- águialivre disse...

Muito bonito...adorei a imagem

Deixo abraço