terça-feira, 5 de junho de 2012

Amantes do verão ( dia 5 )

Um segredo de verão...
Passeava-me, inconscientemente, na faixa etária dos 'teens', quando iniciei, tardiamente, os namoros.
Lá por volta do terceiro ou quarto 'boyfriend', saiu-me um rapagão com mais de metro e oitenta. Nada demais se não fosse a minha estatura de pouco mais de metro e meio, com 45 kg (ai que saudades desse número na balança) e de estrutura óssea delicada.
Pois bem, esse namorado acolhia-me no seu corpo avantajado e sentia-me uma pintainha protegida nos seu amplo abraço.
Na altura, as acanhadas intimidades traduziam-se em comportamentos tímidos. No entanto, intensas, procuradas e saciadas nos encontros fortuitos, em segredo.
Numa noite de verão, estando sentada ao colo dele (como simpatizava com esta pose), sussura-me, na intermitência de beijos, mais ou menos demorados, que tem um segredo a me revelar. Sinto-o embaraçado.
Mais umas carícias, uns beijos permitidos pelo esconderijo, eis que me presenteia com um 'Amo-te!'
Primeira declaração de amor que recebi.
Desconcertada, meio aturdida, respondi com umas mãos que lhe conduziam a boca para os meus lábios.
Não falei, não lhe respondi. Antes fiquei pensativa.
O segredo que guardava era mais surpreendente que o dele.
Gostava do seu jeito de me amar, da sua ternura revelada sob tantas formas, contudo hesitava.
Tenho como lema que quando há amor nenhuma dúvida nos assola.
Assim, o meu segredo, o desamor, ficou escondido  naquelas noites de verão.
Até hoje!
Atualmente, revisito, com muito carinho, o meu primeiro 'amo-te'. Nunca esquecido! Com fantasias de voltar àquele momento para o saborear novamente.
O meu segredo perdeu importância, já o conhecem. E, como de 'não amor' se trata prefiro o cochicho, de genuíno amor, desvendado e proclamado.

18 comentários:

dreams disse...

És realmente uma pérola, e este post e esta história são amorosas, ainda bem que pudeste viver esse momento e recordá-lo desta forma linda.Beijokinhas e obrigado pela partilha de tão grande segredo!!!

MC- Maria Capaz disse...

Adorei ler o teu segredo querida perola :) beijinho *

✿ chica disse...

Lindo segredo e lembranças nunca esquecidas... Que coisa boa!!beijos,chica

Opinante disse...

Possa que lindo... tu és mesmo demais!

Filipa disse...

O blogger deveria ter um sitio só para pôr um gosto... Adorei o teu texto, mesmo lindo!

Arco Iris disse...

Visito pela 1ª vez o teu blogue.
Que pena não o têr descoberto há mais tempo.....
Os teus textos são , muito bem escritos, com muita simplicidade mas muito conteudo.
O blogue também está muito bonito homenageando o mar dessa maravilhosa terra que é Setúbal.

mfc disse...

Há momentos que não se esquecem nunca, que nos marcam para sempre!
Que delícia de texto... que forma linda de nos contares esses momentos lindos em que cada um de nós é capaz de se rever!
Beijinhos,

Vic disse...

Gostei muito do não amor, Pérola :) Há segredos mesmo que inocentes, devem ser guardados até à altura certa de serem revelados. Como agora :)

Xs disse...

É no Verão que muitas das paixões se descobrem!
Pessoalmente não passei por isso especialmente no Verão!

Cláudia disse...

Adorei o teu segredo! =)
Muito bonita a história mesmo =)

Beijocas

Aida disse...

Gostei imenso do teu post!!



http://placequotehere.blogspot.pt/2012/06/weekly-bits-8.html

tétisq disse...

Há segredos que nunca se revelam!*

J. disse...

gostei tanto deste segredo :)

Catarina ♥ disse...

É sempre bom desvendar-se esse segredo :)

Carolina disse...

O primeiro "Amo-te" não se esquece :)
Ainda estou com o rapaz que me disse "amo-te" dessa forma [porque na brincadeira ou dizer só porque sim não conta!] e sei que foi e continua a ser sincero :)
Da primeira vez também não fui capaz de responder. Ou melhor, respondi com um beijo :)

Filipa disse...

tão fofo!!

Margarida Alegria disse...

Que texto tão... tão tão... ultrapassaste-te! :)
Parabéns!
Mas... ai que foste contar o segredo!!
E quem organizou o concurso assim o impôs?!
maldade!
beijo e continua, que está a dar todo um novo sentido à palavra Verão!

aflores disse...

Gostei, gostei muito deste texto.

E fiquei a pensar...«qual foi o meu primeiro 'amo-te'?»
Tenho que revisitar a minha memória 'ram'.

Tudo de bom.