terça-feira, 26 de junho de 2012

Negro Profundo ( 6 )

A pequenada do acampamento preferia os afazeres próprios dos mais velhos, modelos a seguir. Não tardaria muito e seriam eles a dar continuidade às tradições.
Samara, no entanto, adivinhava outras vidas, outros sentires e sonhava acordada, encarnando personagens com vida própria. A de dentista era a sua eleita. Gostava de se imaginar, com bata branca e instrumentos vários, dar vida saudável às bocas desdentadas dos velhos do clã.
Matilde, menina curiosa, apreciava a companhia de Samara naqueles meses de noites longas. Os pais permitiam-lhe o convívio e incentivavam a sua faceta  protetora ao abrirem as portas da intimidade de sua casa aos olhos ávidos de Samara.
Uma amizade partilhada onde se desconhecia quem ficaria a ganhar mais. Matilde, conhecia, pelas histórias simples de Samara, outros modos de enfrentar  os pequenos dilemas  do quotidiano e, esta, aproveitava a veia de professora da amiga absorvendo tudo o queMatilde lhe ensinava.
As duas pequenas costumavam juntar-se aos filhos do caseiro da Herdade. Da família Tavares, como gostavam, orgulhosamente, de ser apelidados. Três rapazes com um ano de diferença. Com as duas meninas formavam os "Cinco das Mimosas", auto batismo, originado numa das tardes em que se reuniam para ler à vez. Uma singela homenagem à sua escritora de eleição, Enid Blyton, e à saga dos famosos Cinco, que conheciam  de trás para a frente.
João, o mais velho, assumia a responsabilidade do grupo com ares, afetados, de adulto. Luís, o 'Cabeça no Ar' do grupo, sempre sonhador. António, o 'Benjamim', qual amuleto, protegido, reclamando atenção, chamava Luís à Terra.
(continua)

6 comentários:

Tétisq disse...

Que clã curioso...isto está a ficar muito curioso, gosto desta analepse, que nos leva à infância da Samara, cujo segredo do nome se mantém escondido assim como as regras que terá quebrado no presente.Muito Bom!

Tens a certeza que és a mesma pessoa que começou este blog?
Será que nos andaste a enganar para testar o terreno?
Beijos***

Pérola disse...

Querida tétisq, que queres dizer com isso se ser a mesma que iniciou o Blog?
Sou a mesma insignificante Pérolaziata de 19/01/2012, data do inicio deste modesto espaço.
Queme spperavas que fosse? Não tenho colaboradores e por vezes até me sinto ridícula e tenho vontade de encerrar o espaço.
Deixaste-me curiosa. Que queres dizer?
Um beijo.
A História ainda dará muitas voltas, terás paciência para me leres? Espero pelos teus propositados comentários.
Volta sempre, amiga!
Um grande beijinho.

Mona Lisa disse...

O "enigma" de Samara nasceu nos "cinco das mimosas"?!

Resta-me esperar!

Beijinhos.

Tétisq disse...

Quero dizer que estás a escrever muito bem, muito bem...*

Arco Iris disse...

A leitura das minhas filhas....e que encantou a juventude na altura, portanto penso que Simara é desse tempo.
Sigo com tanto entusiasmo como o livro que ando a lêr.
Bjs

Pérola disse...

És uma querida.
E, pensar que te andei a escrever cartas.
Já tenho saudades dessa troca de mimos.
Queres que te escreva de novo? Pode ser um postal?