segunda-feira, 2 de julho de 2012

Negro Profundo ( 10 )

Samara não percebeu à primeira. Todos a rodeavam, dando-lhe os parabéns. Felicitavam-na. Tinha sido disputada entre dois pretendentes. Ganhara o mais abastado. Que sorte a dela! Catorze anos e já noiva, quase casada. A família não podia estar mais feliz. 
A pequena sentou-se, atordoada. Levou tempo a digerir a informação, no intervalo dos beijos e abraços.
Quando deu cor de si, levanta-se e dirige-se  ao pai dizendo que é muito nova, não quer casar. Tão simples: quer continuar a estudar e deixar o casamento, talvez, para mais tarde. O pai não entendendo a filha, embriagado pelos festejos, despede-se, dando-lhe ordens para se deitar. De manhã teria tempo para se aconselhar com as mulheres da família. Que procurasse apoio na irmã mais velha.
Sob o efeito do transe, foi conduzida à sua cama, no meio de vivas e palmas.
Não se lembrava de ter adormecido ou acordado.
Recordava-se de se ter levantado com o Sol e dirigiu-se à casa principal das Mimosas.
Entrou pela porta da cozinha, como era hábito e dirigiu-se ao quarto de Matilde. Ainda era cedo para a escola, Matilde acorda mal humorada. Quando vê a amiga pergunta se está atrasada.
Desde os seis anos que Samara a acompanha todos os dias à escola, tendo aproveitamento em todas as matérias. No Outono recuperava as lições que havia perdido na última primavera. Desta forma, Samara não ficava atrás da inteligente amiga.
Sem deixar Matilde  levantar-se, Samara atira-lhe com um 'vou-me casar' que fez cair Matilde nas almofadas, de surpresa.
Matilde, não acreditando, começa  a rir e a acusá-la 'porque me acordas com parvoíces? Podia estar a dormir!'.
O silêncio de Samara traz Matilde à realidade.
(continua)

6 comentários:

Violeta Santos disse...

Não falhou pelos vistos ;)
A resposta "acontece" foi pura e simplesmente ao amigo dele ;)

D.N. disse...

há informações que custam mesmo digerir..
Beijinho

Margarida Alegria disse...

Consegues sempre surpreender com cada novo capítulo! Muito bom.
Olha,ests lembra uma história que recordei há bocado no meu post novo. Mundo cruel para tanta criança...
)mas afinal não deu para fazer os outros dois... ficam para a amanhã... o resto da "refeição")-
beijinho e boa noite.

Patrícia disse...

Pérola já estou guardando todos os links dos textos (Negro Profundo) aos poucos logo, logo fico por dentro!
Bjs amiga, boa semana!

Arco Iris disse...

A cultura cigana surpreende-me e fascina-me ao mesmo tempo, penso que o romance e a vida da pequena Samara está envolta nessa etnia.
Espero por mais.
Bjs

Mona Lisa disse...

Conseguiste baralhar-me!

Porque terá sido expulsa,Samara?

Só me resta esperar.

Beijos.