terça-feira, 3 de julho de 2012

Omissão

De olhos baixos, cruzo passeios de pedras desniveladas.
Pesados, os ombros descaem.
Arrasto culpas pouco dignas.
Pecados confessados no silêncio do monólogo.
Olhar ausente, vislumbrando ocasiões delituosas.
Humilhação de corpo e mente, necessárias,  escusadas?
Rojo o meu eu por espaços lamacentos, nublados, aguardando expiação justa.
Ensaio remição do penhor pesado que me curva, que me tolhe, que me esvazia, que me desumaniza, que me faz soltar gemidos não consentidos.
Fatigada, exaurida, fatigo quem não devo.
Esmero-me em vãs  tentativas de salvamento que derivam em enfados acrescidos.
Sinto-te distante.
Como te poderás aproximar de sombra fugidia, sobrecarregada com fantasmas indecifráveis?
Não me conheço, tarefa inglória para outro qualquer.
Com desenlace inexistente, retomo trilho, prolongando a jornada  custosa.
Por minha culpa, por omissão.

12 comentários:

mfc disse...

Não há necessidade de nos culparmos de nada!
Temos é que tentar ser felizes!
A nossa missão é alcançarmos a felicidade.
Beijinhos,

Opinante disse...

Tanto sentimento milher :)

Gostei :)

Margarida Alegria disse...

Subscrevo o que diz o mfc, quanto ´+a nossa missão de felicidade! Podemos ser culpados de algumas coisas, mas por isso está cá a nossa inteligência para tentar melhorar a vida de acordo com o que somos e podemos.
O que omitimos pode ter sido falha, mas não podemos vergar ao seu peso. Cada dia é um dia novo para tentarmos ser felizes e fazer os outros felizes. Se não conseguirmos ests último objectivo, paciência.
A vida não tem receitas perfeitas, vamos fazendo o que podemos, fiéis à nossa consciência. Não conseguimos resolver tudo, mas podemos saborear cada raio de sol, cada pequena vitória.
Olha, para refrescares não queres ir lá ao sossego verde do meu blog saborear um "cocktail de laranja" fresquinho? Acabei de publicar, na sequência do banquete de posts...;)
Um beijinho!

Mar disse...

Pérola sei que falar ou escrever será mais fácil, se o teu texto estiver a descrever uma historia que não é a tua estas palavras ficam para todos que as lerem, não poderá existir algo mais importante que a tua própria Felicidade e sentires-te Feliz, eu acredito que Felicidade gera Felicidade, acredita também e nunca desistas de ser Feliz, nem que seja por breves e deliciosos momentos tu mereces isso e deves isso a ti mesma :)
Beijinhos no <3
Boa e Feliz semana :)

✿ chica disse...

Linda e intensa inspiração!Sempre legal passar aqui!beijos,chica

BB disse...

lindoo !

Menina disse...

Gosto destes poemas que aqui pões e da intensidade que se sente ao lê-los!

beijinho

manuela barroso disse...

Entre o poeta e o Eu Poético, existe o espaço redondo das palavras.
Há um tempo para tudo na vida. Umas vezes passa vertiginosamente, outras nem tanto.
Quisera que hoje fosse o Eu poético debruçando-se sobre esta espécie de cansaço.
Mas, nunca nada se separa pois os reflexos se cruzam!
Dias lentos, de monotonias, de fadiga.
Mas a noite traz o silêncio.
Terno abarço

Tétisq disse...

muito bom!
Amor que vai além de todas as contrariedades, é o verdadeiro*

Mona Lisa disse...

Não te culpes, Pérola!

Não deixes que te roubem a felicidade!
Dá a volta e sorri!

Beijinhos.

Arco Iris disse...

Palavras para quê !....
Poema bonito e profundo.
Bjs

Pretty in Pink disse...

Acho que todos temos momentos assim, de insegurança, de incerteza...força ;)

Beijinho*