terça-feira, 13 de março de 2012

Diz-me...


Diz-me, Amor, como Te Sou Querida

Dize-me, amor, como te sou querida,
Conta-me a glória do teu sonho eleito,
Aninha-me a sorrir junto ao teu peito,
Arranca-me dos pântanos da vida.

Embriagada numa estranha lida,
Trago nas mãos o coração desfeito,
Mostra-me a luz, ensina-me o preceito
Que me salve e levante redimida!

Nesta negra cisterna em que me afundo,
Sem quimeras, sem crenças, sem turnura,
Agonia sem fé dum moribundo,

Grito o teu nome numa sede estranha,
Como se fosse, amor, toda a frescura
Das cristalinas águas da montanha!

Florbela Espanca, in "A Mensageira das Violetas"

30 comentários:

Margarida disse...

Embora não goste de Florbela Espanca, tenho de admitir que esse poema é lindo! Tens de ver Maria do Rosário Pedreira... Vais adorar, querida! Depois se gostares, dedicas me um... ;)
Beijinhos

Pérola disse...

Já andei a pesquisar sobre a escritora que gostas. É igualmente forte como a Florbela. Até agora, na minha ignorância, encontrei-lhes pontos em comum. Veremos se continuarei com a mesma opinião.
Beijinhos!

Minharealidade disse...

Po falar em Florbela, vai sair no cinema um filme dela :)

Minharealidade disse...

Ups, sobre ela *

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Tal como o amanhecer sucede à noite escura, assim outros alvores nascerão em nós...

:)

Mary disse...

Muitas alergias, sim :( por isso deixem que chova um bocadinho

Pérola disse...

Quando souberes o nome, avisa.
bjs.

Pérola disse...

Valha-nos a esperança!Aguardo o amanhecer e a luz.

Pérola disse...

As melhoras, querida Mary. Mesmo não gostando, só para te saber melhor, que chova e chova bastante.

AvoGI disse...

eu gosto de Florbela e seja qual for o poema tem sempre um fundo triste e de abandono
kis :=)

Multiolhares disse...

quando ninguem nos cantar essa gloria, temos de a encontrar dentro de nós pois ela esta lá só precisa ser desperta por nós mesmas
bjs

Pérola disse...

Não sei o que conheces, mas a vida da Florbela foi cheia de inquietação. Nunca foi verdadeiramente feliz. Daí a tristeza e o abandono: sofreu-os na pele e na mente. Se reparares os grandes génios e escritores nunca tiveram vidas fáceis. Se a vida lhes fosse sorridente talvez não tivessemos tanta escrita maravilhosa como a desta poetisa. Dá para pensar, não?

Pérola disse...

Multiolhares, como te dizer? Eu entendo e não podia concordar mais, mas, para mal dos meus pecados, a Florbela diz o que por vezes sinto. Felizmente que tem dias...

mfc disse...

A beleza dos sentimentos puros!

Desabafos e Encantos disse...

As palavras da Florbela Espanca tocam sempre o meu coração de uma forma inexplicável!!

Joana Filipa disse...

Como eu adoro Florbela Espanca!

Dadinha disse...

Florbela Espanca foi única e a sua poesia é intensa. Adoro!
bj

Gonçasonblog disse...

Florbela Espanca, à semelhança de Fernando Pessoa, é do melhor da literatura portuguesa.

Ritinha disse...

Gosto imenso! Tenho imensa curiosidade pelo o filme que vai sair sobre ela!

Pérola disse...

Dificil, esta exposição a nú, de sentimentos. Linda,sem dúvida.

Pérola disse...

Já somos duas!

Pérola disse...

Realmente ímpar. tão intensa qua às vezes até dói, Ohhh, se dói...

Pérola disse...

Dois 'Monstros' da nossa escrita. Adoro!

Valsita disse...

mais uma coisa em comum... Adoro Florbela Espanca...
"E nesse beijo, Amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz"

Pérola disse...

Também o aguardo. Espero que seja intenso,tal como a sua vida

Pérola disse...

Imagina se o tivesse dado.

D.N. disse...

Palavras que tocam no coração e nos deixam a pensar...

Pérola disse...

Sim, a pensar...

Vera, a Loira disse...

Muito bonito o poema. Adoro a Florbela Espanca.

Pérola disse...

Sempre é bom revisitá-la.